Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Por que alguns países ocidentais não querem libertação de Idlib?

A libertação de Idlib marcará a vitória total das forças governamentais e o fracasso dos planos de países ocidentais de derrubar as autoridades legítimas sírias.
Sputnik

No entanto, segundo Pierre Le Corf, ativista francês que vive em Aleppo, a tarefa não será fácil. 


"Será muito difícil libertar Idlib, porque todas as forças da coalizão lideradas pelos EUA e governos [ocidentais] envolvidos na guerra até o momento se opõem à libertação da província", disse Le Corf à Sputnik França.

Ele comentou que assim que a província síria de Idlib for libertada, terá que "libertar as zonas ocupadas ilegalmente pelos EUA, França e até pela Itália no norte do país". Por esse motivo, nenhum desses países quer a libertação da província.

Le Corf salientou que a intenção de manter o status atual poderia levar a "um massacre da população civil de Idlib", referindo-se às múltiplas advertências dos militares sírios e russos sobre a possível encenação de ataques químicos com o prop…

China: testes de mar preparam caminho para grupo de batalha de porta-aviões

O primeiro porta-aviões construído na China, o Type 001A (em algumas fontes redesignado como Type 002), embarcou no segundo teste no mar no dia 26 de agosto, dois dias depois que o primeiro destróier de mísseis Type 055 da China, de 10.000 toneladas, teve seu primeiro teste no mar.


Poder Naval

Especialistas chineses disseram no último domingo que os navios provavelmente formarão um grupo de batalha de porta-aviões quando forem entregues à Marinha do Exército de Libertação Popular (PLA Navy).

O Type 001A, que agora está sendo chamado de Type 002 ou CV17
O Type 001A, que agora está sendo chamado de Type 002 ou CV-17

Auxiliado por rebocadores, o porta-aviões partiu do estaleiro de Dalian, na província de Liaoning, no nordeste da China, na manhã de domingo, após uma exibição de fogos de artifício, de acordo com vídeos e fotos no Sina Weibo, no domingo.

“O segundo teste marítimo do porta-aviões se concentrará em lidar com questões que surgiram durante o primeiro”, disse Song Zhongping, um especialista militar e comentarista de TV, ao Global Times.

Embora o teste dos sistemas de energia dos navios seja o foco principal, o segundo teste marítimo envolverá cargas mais pesadas e outros diagnósticos do sistema, incluindo comando, comunicação e gerenciamento de danos, disse Song.

O novo porta-aviões chinês aparece nas fotos com modelos de aeronaves para treinamento das equipes de manobra do convés de voo
O novo porta-aviões chinês aparece nas fotos com modelos de aeronaves para treinamento das equipes de manobra do convés de voo

Zhang Ye, pesquisador do Instituto de Pesquisa Naval do PLA, disse ao Global Times que o segundo teste marítimo também se concentrará na execução de testes de armamentos e equipamentos do porta-aviões.

“Os radares, o sistema de navegação e as armas principais serão testadas”, disse Zhang.

O primeiro teste marítimo do novo porta-aviões ocorreu de 13 a 18 de maio. Ele retornou em 23 de maio ao estaleiro de Dalian para concluir o trabalho de armamento.

Testes futuros no mar envolverão testes de caças e helicópteros a bordo do porta-aviões antes de serem entregues à PLA Navy, de acordo com Zhang.

A entrega pode demorar cerca de um ano graças ao conhecimento obtido com o lançamento do primeira porta-aviões do país, Liaoning, disse Song.

Type 055

O primeiro destróier de mísseis Type 055 da China fez sua viagem inaugural na sexta-feira, 24 de agosto.

Type 055 saindo para testes de mar
Type 055 saindo para testes de mar

As fotos no Sina Weibo mostram o destróier de mísseis construído localmente de 10.000 toneladas deixando o estaleiro de Jiangnan em Xangai pela primeira vez.

As duas naves provavelmente serão entregues à PLA Navy na mesma época, com o destróier servindo como uma embarcação de escolta para o novo porta-aviões, aumentando significativamente a capacidade de combate do grupo, disse Song.

O destróier de mísseis também é capaz de realizar missões por conta própria e terá um papel importante na defesa de mísseis, disseram especialistas no domingo.

“O Type 055 é a embarcação de superfície de alto nível da China. Aumentará a capacidade de combate da PLA Navy em alto mar”, de acordo com Song.

O destróier de mísseis também se tornará uma extensão importante do sistema antimísseis marítimo da China, já que pode fornecer profundidade estratégica a partir do alto-mar, observou Song.

O destróier foi lançado em 28 de junho de 2017, mas não tinha ainda passado por testes de mar antes de sexta-feira.

O ano entre o lançamento do Type 055 e seu primeiro teste no mar indica que ele deve ter sido submetido a testes simulados para garantir o sucesso de seu teste no mar, disse Song.

Mais navios Type 055 estão em construção. Especialistas chineses disseram que a PLA Navy precisa comissionar pelo menos 10 destróieres de mísseis Type 055 no futuro.

Destróieres de mísseis Type 055 estão equipados com mais de 100 silos de lançamento vertical capazes de lançar mísseis superfície-ar, mísseis de cruzeiro antinavio, mísseis de cruzeiro de ataque terrestre e foguetes com torpedos antissubmarino acoplados, segundo militares chineses e estrangeiros e reportagens de mídia.

Especialistas chineses esperam que o “railgun” eletromagnético, que está em desenvolvimento, seja montado no Type 055 no futuro.

FONTE: Global Times

Postar um comentário

Postagens mais visitadas