Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Empresa chinesa faz peças para F-35? Revelação surge em meio a polêmicas envolvendo Huawei

Em meio à briga contínua entre os EUA e a gigante tecnológica chinesa Huawei, classificada como ameaça à segurança por Washington, verificou-se que uma subsidiária com sede no Reino Unido de uma companhia chinesa fabrica peças para os jatos americanos F-35.
Sputnik

Trata-se da companhia chinesa Exception PCB, com sede no condado britânico de Gloucestershire, que fabrica placas de circuitos que controlam os motores, iluminação, combustível e sistemas de navegação dos caças F-35 – o sistema de armas mais caro já feito.

De acordo com a emissora britânica Sky, citando materiais divulgados pelo Ministério da Defesa do Reino Unido, a empresa que fabrica componentes para os caças da Lockheed Martin foi comprada em 2013 pela companhia chinesa Shenzhen Fastprint, que inclusive já participou da fabricação de caças Eurofighter Typhoon e de helicópteros de ataque Apache.

"A Exception PCB, com sede em Gloucestershire, fabrica placas de circuito impresso que controlam muitas das principais capacid…

Com bug no capacete, F-35C só faz pouso noturno com pilotos experientes

A Marinha dos EUA está perto de consertar um bug técnico no sofisticado caça F-35 Joint Strike Fighter, uma limitação no capacete que representa um perigoso obstáculo para os aviadores que tentam pousar no escuro da noite em um porta-aviões em movimento.


Poder Aéreo

A BORDO DO USS ABRAHAM LINCOLN – Os pilotos do F-35C descrevem o bug como um brilho verde criado pela tecnologia LED no monitor montado no capacete Geração III, que transborda e os impede de ver as luzes de um porta-aviões durante a noite.

Um F-35C Lightning II do Strike Fighter Squadron (VFA) 147 se aproxima do USS Abraham Lincoln (CVN 72) para pouso
Um F-35C Lightning II do Strike Fighter Squadron (VFA) 147 se aproxima do USS Abraham Lincoln (CVN 72) para pouso

“À noite, os porta-aviões são as coisas mais escuras que você pode ter quando não há lua”, disse o piloto Tommy “Bo” Locke, comandante do esquadrão de caças da Marinha (VFA) 125, a um grupo de repórteres de defesa no hangar do Abraham Lincoln na segunda-feira.

Por uma semana, o esquadrão de Locke tem participado do Teste Operacional I, um marco que representa a primeira vez que o F-35C Lightning II se uniu em operações regulares de voo com um porta-aviões no mar.

A Marinha tentou consertar o problema do capacete com atualizações de software para permitir que os pilotos diminuíssem o brilho verde, mas até agora, apenas os pilotos mais experientes do F-35C podem pousar à noite.

Atualmente, para ser qualificado para pousar no porta-aviões no escuro sem consertos no capacete do F-35, os pilotos precisam de 50 pousos, disseram autoridades.

FONTE: Military.com

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas