Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Putin ameaça retaliar se EUA instalarem mísseis na Europa

Em seu discurso sobre o estado da nação, presidente russo faz ataques a Washington e promete apontar seu arsenal para os Estados Unidos e para o continente europeu se mísseis americanos atravessarem o Atlântico.
Deutsch Welle

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, alertou nesta quarta-feira (20/02) que seu país responderá a um possível envio de mísseis americanos à Europa, fazendo com que não apenas os países que receberem esses armamentos se tornem alvos, mas também os Estados Unidos.


Em seu discurso anual sobre o estado da nação em Moscou, Putin elevou o tom ao comentar uma nova e potencial corrida armamentista. Ele afirmou que a reação russa a um possível envio seria rigorosa e que as autoridades em Washington – algumas das quais estariam obcecadas com o "excepcionalismo" americano – deveriam calcular os riscos antes de tomar qualquer medida.

"É o direito deles de pensar da forma que quiserem. Mas eles sabem fazer cálculos? Tenho certeza que sabem. Deixemos que eles cal…

Com que objetivos Ucrânia decide fortalecer presença militar no mar de Azov?

A Ucrânia receia o bloqueio militar e econômico da costa de Azov e, nesse contexto, fortalecerá sua presença naval no mar de Azov, indica o relatório do Conselho Nacional de Segurança e Defesa da Ucrânia depois da visita do secretário da entidade, Aleksandr Turchinov, à região de Donbass.


Sputnik

É relatado que Turchinov visitou a área da operação das Forças Unidas ucranianas em Donbass, onde verificou a prontidão dos militares, a organização da defesa costeira e a proteção da costa do mar de Azov.

Efetivos da Marinha da Ucrânia
Militares da marinha ucraniana © Sputnik / Mikhail Palinchak

Turchinov observou que, na área da Operação das Forças Unidas da Ucrânia, Mariupol continua sendo uma das áreas mais perigosas, onde, segundo ele, é possível a ocorrência de "operações de ataque terrestre e marítimo ao longo da costa de Azov".

É reportado que, durante a reunião com os militares, Turchinov prestou considerável atenção ao fortalecimento e organização da defesa costeira e à resposta eficaz a eventuais provocações terrestres e marítimas.

"O secretário do Conselho Nacional de Segurança e Defesa da Ucrânia discutiu com o comando das forças navais a questão da criação de um grupo de barcos e navios da Marinha de Guerra no mar de Azov", indica o relatório.

Segundo Turchinov, "é preciso fortalecer a presença naval da Ucrânia na região realocando parte da estrutura naval da Marinha, implementado postos adicionais para monitorar o litoral e a área marítima, assim como grupos de reação imediata".

Comentários

Postagens mais visitadas