Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Marinha da Argentina fala sobre localização do submarino ARA San Juan

Embarcação desaparecida há 1 ano foi localizada neste sábado a 907 metros de profundidade. Ainda não há previsão de início dos trabalhos de resgate. 'Não temos meios para resgatar o submarino', diz ministro.
Por G1

A Marinha da Argentina informou neste sábado (17) que o submarino ARA San Juan, que sumiu há 1 ano com 44 tripulantes, foi encontrado a 907 metros de profundidade em uma área de "visibilidade bastante reduzida", e que a embarcação sofreu uma "implosão" no fundo das águas do Oceano Atlântico.

Segundo Enrique Balbi, porta-voz da Marinha, a proa, a popa e a vela se desprenderam do submarino e estão localizadas em uma área de 80 a 100 metros. “Isso sugere que a implosão tenha ocorrido muito perto do fundo”, disse.

Segundo a Marinha, as imagens mostram que o casco do submarino permaneceu bastante intacto, apenas com algumas deformações, e que todas as outras partes se desprenderam. A implosão teria ocorrido em razão da pressão externa do mar ter superado …

É designada condição para retirada dos militares russos da fronteira entre Israel e Síria

A polícia militar russa posicionada nas Colinas de Golã se retirará depois da chegada das patrulhas permanentes da missão da ONU, relatou à revista Moskovsky Komsomolets o tenente-general e vice-comandante do grupo russo na Síria, Sergei Kuralenko.


Sputnik

Segundo ele, "a polícia militar russa é a base da paz e tranquilidade hoje nesta região". Kuralenko acrescentou que não há o propósito de continuar o patrulhamento por muito tempo, e os militares partirão assim que a ONU decidir que pode executar as tarefas por conta própria. 

Vista para as Colinas de Golã na província de Quneitra, Síria
Vista das Colinas de Golã de Quneitra, Síria © Sputnik / Valery Melnikov

"Isso é apenas a necessidade de hoje. Nada mais do que isso. Assim que as patrulhas permanentes da missão da ONU chegarem, nossas patrulhas vão parar o trabalho imediatamente", anunciou o tenente-general.

Em 2 de agosto, o Estado-Maior das Forças Armadas da Rússia anunciou que implantará novamente postos da polícia militar nas Colinas de Golã – o antigo território sírio confiscado por Israel. O trabalho dos pacificadores naquela região foi interrompido por seis anos.

As Colinas de Golã é um território disputado no Oriente Médio que fez parte da Síria até 1967. A área foi capturada por Israel durante a Guerra dos Seis Dias que a anexou unilateralmente em 1981. A resolução do Conselho de Segurança da ONU reconheceu a anexação como inválida. Damasco continua considerando esse território como seu.

O conflito armado na Síria começou em 2011, envolvendo forças do governo que atuam ao lado do presidente do país, Bashar Assad, oposição moderada e vários grupos islâmicos. Nos últimos meses, várias mensagens de armistício foram relatadas.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas