Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Empresa chinesa faz peças para F-35? Revelação surge em meio a polêmicas envolvendo Huawei

Em meio à briga contínua entre os EUA e a gigante tecnológica chinesa Huawei, classificada como ameaça à segurança por Washington, verificou-se que uma subsidiária com sede no Reino Unido de uma companhia chinesa fabrica peças para os jatos americanos F-35.
Sputnik

Trata-se da companhia chinesa Exception PCB, com sede no condado britânico de Gloucestershire, que fabrica placas de circuitos que controlam os motores, iluminação, combustível e sistemas de navegação dos caças F-35 – o sistema de armas mais caro já feito.

De acordo com a emissora britânica Sky, citando materiais divulgados pelo Ministério da Defesa do Reino Unido, a empresa que fabrica componentes para os caças da Lockheed Martin foi comprada em 2013 pela companhia chinesa Shenzhen Fastprint, que inclusive já participou da fabricação de caças Eurofighter Typhoon e de helicópteros de ataque Apache.

"A Exception PCB, com sede em Gloucestershire, fabrica placas de circuito impresso que controlam muitas das principais capacid…

Força Aérea americana aloca quase US$ 3 bilhões para construção de naves espaciais

A gigante do setor aeroespacial Lockheed Martin ganhou cerca de 3 bilhões de dólares do Departamento de Defesa dos Estados Unidos para construir três veículos espaciais para a Força Aérea americana.


Sputnik

De acordo com o Pentágono, as naves irão operar em órbitas geoestacionárias, a cerca de 35 mil quilômetros acima do planeta Terra. 

Logotipo do grupo norte-americano Lockheed Martin (imagem de arquivo)
© AFP 2018 / PIERRE VERDY

"A Lockheed Martin Space Systems, de Sunnyvale, Califórnia, recebeu um contrato não definido de US$ 2.935.545.188 para três veículos aéreos de órbita terrestre com infravermelho persistente de alta geração", diz o comunicado divulgado nesta terça-feira.

Na última segunda-feira, após a assinatura, pelo presidente dos EUA, Donald Trump, do Ato de Autorização de Defesa Nacional de 2019, a Força Aérea anunciou a liberação de US$ 480 milhões para a Lockheed Martin para iniciar o projeto de um segundo protótipo de arma hipersônica. Em abril, a empresa já tinha ganhado um contrato de US$ 930 milhões para desenvolver o primeiro protótipo, como parte da estratégia de Washington para competir com Rússia e China no setor de armamentos hipersônicos.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas