Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Por que alguns países ocidentais não querem libertação de Idlib?

A libertação de Idlib marcará a vitória total das forças governamentais e o fracasso dos planos de países ocidentais de derrubar as autoridades legítimas sírias.
Sputnik

No entanto, segundo Pierre Le Corf, ativista francês que vive em Aleppo, a tarefa não será fácil. 


"Será muito difícil libertar Idlib, porque todas as forças da coalizão lideradas pelos EUA e governos [ocidentais] envolvidos na guerra até o momento se opõem à libertação da província", disse Le Corf à Sputnik França.

Ele comentou que assim que a província síria de Idlib for libertada, terá que "libertar as zonas ocupadas ilegalmente pelos EUA, França e até pela Itália no norte do país". Por esse motivo, nenhum desses países quer a libertação da província.

Le Corf salientou que a intenção de manter o status atual poderia levar a "um massacre da população civil de Idlib", referindo-se às múltiplas advertências dos militares sírios e russos sobre a possível encenação de ataques químicos com o prop…

Força Aérea Sueca considera dobrar número de caças Gripen E

O chefe da Força Aérea Sueca está pedindo ao governo que considere dobrar o tamanho da futura frota do Gripen NG (Saab JAS 39E Gripen) para reforçar as defesas aéreas do país.


Poder Aéreo

LONDRES – Em entrevista ao jornal Dagbladet, da Suécia, o comandante da Força Aérea, major-general Mats Helgesson, disse que a Força Aérea precisa de 120 caças Gripen E, o dobro do número que a Força Aérea Sueca está programada para receber.

Saab JAS 39E Gripen
Saab JAS 39E Gripen

“Se não pudermos aumentar para 120 aeronaves, entraremos em desequilíbrios operacionais”, disse ele ao jornal, sugerindo que caberia aos políticos escolher quais partes do espaço aéreo do país não seriam defendidas se os caças não fossem comprados.

Seu pedido surge quando a Suécia se prepara para uma eleição geral em 9 de setembro.

A Suécia está no meio de aumentar seus gastos com defesa devido a preocupações com uma Rússia mais agressiva, do outro lado do Báltico.

Estocolmo tem atualmente uma frota de 90 Gripen C/D e os planos atuais seriam substituídos por 60 Gripen E, embora o governo esteja estudando opções para comprar mais 10 aeronaves para levar essa frota a 70 unidades.

“Mais aeronaves aumentariam muito nossa capacidade de cobrir a superfície da Suécia”, disse Helgesson. Ele também reconheceu que isso viria com um significativo desafio de infraestrutura, mão-de-obra e financiamento, com a compra de mais 60 aeronaves com um preço multibilionário em coroas.

A Saab disse em comunicado que estava acompanhando a discussão pública sobre os níveis de defesa suecos. Ela também disse que “a avaliação e as decisões subsequentes quanto aos níveis apropriados de equipamento, incluindo o Gripen E, são uma decisão para as autoridades de defesa e políticos, não para nós mesmos”.

“Nosso foco é a entrega do programa Gripen E, com sua contribuição vital para as capacidades de defesa suecas e brasileiras e benefícios econômicos mais amplos”, acrescentou o comunicado.

A Saab está se preparando para voar os segundo e terceiro protótipos do Gripen E nas próximas semanas, enquanto os testes de voo com a primeira aeronave, 39-8, que voou pela primeira vez em junho, continuam com a expansão do envelope e teste de transporte de armas, disse a empresa no Farnborough Airshow.

FONTE: Aviation Week

Postar um comentário

Postagens mais visitadas