Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

EUA: sanções contra Venezuela servem como 'alerta para atores externos, incluindo Rússia'

Na última terça-feira (17), o secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, culpou a Rússia e a Venezuela pela crise de refugiados observada no país latino-americano.
Sputnik

O conselheiro de Segurança Nacional dos EUA, John Bolton, anunciou nesta quarta-feira (17) que os EUA estão impondo uma nova rodada de sanções contra a Venezuela, acrescentando o banco central do país à lista de restrições. 

Segundo o conselheiro de Segurança Nacional, as sanções recém-aplicadas deveriam se tornar um alerta para "todos os atores externos, inclusive a Rússia".

Desde o início da crise política na Venezuela no início deste ano, os EUA impuseram várias rodadas de sanções, visando os setores petrolífero e bancário do país, bem como indivíduos ligados às autoridades do país.

A Venezuela está sofrendo grave crise política desde janeiro. Junto com outros países ocidentais, os EUA apoiam Juan Guaidó, que se proclamou presidente interino da Venezuela. Ao mesmo tempo, Rússia, China e Turquia, entre outros…

Forças iraquianas matam 12 terroristas do Estado Islâmico

As forças de segurança iraquianos mataram 12 combatentes do grupo terrorista Estado Islâmico (EI) ao sul da cidade de Tikrit, capital da província setentrional de Saladino, informou à Agência Efe uma fonte de segurança local.


EFE

Bagdá - Uma força integrada pela polícia e pelo Exército, junto às milícias pró-governo Multidão Popular, lançou ontem à noite um ataque contra os membros do EI que ainda permanecem na região da Al Ishaqui, 70 quilômetros ao sul de Tikrit, disse a fonte, que quis manter o anonimato.

Resultado de imagem para Tikrit
Militar iraquiano em Tikrit | REUTERS / ALAA AL-MARJANI

No marco da operação conjunta morreram 12 jihadistas, entre eles quatro terroristas suicidas que levam junto ao corpo cinturões explosivos, detalhou a fonte.

Além disso, acrescentou que não ocorreram baixas nas fileiras governamentais.

As forças iraquianas estão tentando eliminar os remanescente do grupo EI e suas células dormentes, depois que o Governo de Bagdá anunciou em 9 de dezembro a derrota militar do grupo, que ainda tem presença em algumas áreas e realiza atentados contra civis e uniformizados.

Os jihadistas chegaram a dominar amplas regiões do Iraque após invadir o país em junho de 2014, depois do qual proclamaram um "califado" nos territórios que controlavam neste Estado e na vizinha Síria.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas