Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Por que alguns países ocidentais não querem libertação de Idlib?

A libertação de Idlib marcará a vitória total das forças governamentais e o fracasso dos planos de países ocidentais de derrubar as autoridades legítimas sírias.
Sputnik

No entanto, segundo Pierre Le Corf, ativista francês que vive em Aleppo, a tarefa não será fácil. 


"Será muito difícil libertar Idlib, porque todas as forças da coalizão lideradas pelos EUA e governos [ocidentais] envolvidos na guerra até o momento se opõem à libertação da província", disse Le Corf à Sputnik França.

Ele comentou que assim que a província síria de Idlib for libertada, terá que "libertar as zonas ocupadas ilegalmente pelos EUA, França e até pela Itália no norte do país". Por esse motivo, nenhum desses países quer a libertação da província.

Le Corf salientou que a intenção de manter o status atual poderia levar a "um massacre da população civil de Idlib", referindo-se às múltiplas advertências dos militares sírios e russos sobre a possível encenação de ataques químicos com o prop…

Irã apreende grande quantidade de armas na província central de Kerman

O Irã descobriu e apreendeu uma quantidade considerável de armas e munições semi-pesadas na província central de Kerman.


Pars Today

O promotor-geral de Kerman, Dadkhoda Salari, disse na quarta-feira que o grande esconderijo de armas foi contrabandeado para o país através das fronteiras orientais com o intuito de ser utilizadas em ataques terroristas.

Irã apreende grande quantidade de armas na província central de Kerman
Militares iranianos | Reprodução

Neste local foram armazenados, grandes quantidades de munição e armas relacionadas, incluindo dois canhões antiaéreos, semipesados, 7.400 balas antiaéreos, 23 itens de foguetes anti-blindagem de 73 mm e três motas, duas das quais foram especialmente projetadas para áreas intransitáveis, foram descobertos e apreendidos, acrescentou.

Salari alertou que a segurança, a inteligência e as autoridades judiciais não permitirão que bandidos e elementos contra-revolucionários punham em risco a segurança do país. O Judiciário, em cooperação com agências de inteligência, segurança e segurança, identificou e desmantelou grupos terroristas, acrescentou.

Nos últimos anos, as forças de segurança e guardas de fronteira do Irã se envolveram em confrontos com grupos terroristas, muitos dos quais cruzam as fronteiras do país com o Paquistão e o Iraque para realizar ataques dentro do país.

No mês passado, pelo menos 11 membros do Corpo de Guardas da Revolução Islâmica do Irã (IRGC) perderam suas vidas em um ataque terrorista na vila de Dari, no distrito de Marivan, província de Kordestan, que levou a uma explosão em um depósito de armas.

Apoiadores do terrorismo enfrentam o “punho de ferro” do IRGC

O porta-voz do IRGC disse que partidários de terroristas enfrentarão o punho de ferro do IRGC por operações contra guardas de fronteira do Irã. Durante os confrontos, um grande número de terroristas foi morto e vários outros fugiram feridos.

Também em um comunicado em 14 de julho, a Base Najaf Ashraf das Forças Terrestres do IRGC disse que havia destruído uma equipe terrorista e matado três terroristas no oeste do país, perto da fronteira com o Iraque.

Acrescentou que foi identificado e destruído completamente um "grupo terrorista contra-revolucionário" que planejava realizar atos de sabotagem e medidas contra a segurança nacional depois de cruzar a fronteira com o Irã na área de Nowdesheh, na província de Kermanshah.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas