Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

China desenvolve 2 novos bombardeiros furtivos ao mesmo tempo, diz inteligência americana

A Força Aérea da China, que já tem dois caças furtivos, está trabalhando em dois novos projetos de aviões furtivos de médio e longo alcance, informou um relatório da inteligência militar dos EUA.
Sputnik

Os fabricantes de aviões chineses estão envolvidos em dois projetos de bombardeiros furtivos ao mesmo tempo, informou a edição Aviation Week, citando um relatório da Agência de Inteligência do Departamento de Defesa dos EUA.


A existência de um desses projetos, H-20 ou H-X, foi confirmada pela Força Aérea Chinesa em 2017. Entretanto, não foi divulgada nenhuma informação confiável sobre o segundo projeto.

De acordo com o Pentágono, o segundo projeto, designado JH-XX, envolve o desenvolvimento de um caça-bombardeiro de médio alcance. O avião será equipado com radar AESA, mísseis ar-ar e mísseis ar-terra. Os especialistas em inteligência militar estadunidense acreditam que essa aeronave entrará em serviço da Força Aérea chinesa não antes de 2025.

No desenvolvimento desses novos aviões de comba…

Marinha chinesa prova suas capacidades no mar da China Oriental

Navios chineses interceptaram mísseis no decurso das manobras efetuadas no mar da China Oriental.


Sputnik

A Marinha da China realizou exercícios de defesa aérea e antimíssil com fogo real nas águas do mar da China Oriental, informou na segunda-feira (13) o jornal militar oficial chinês PLA Daily. Mais de dez navios participaram das manobras, durante as quais foram interceptados diversos mísseis antinavio.

Resultado de imagem para Meizhou frigate
Fragata chinesa de mísseis Meizhou

Os navios tinham como missão detectar múltiplos mísseis e escolher um método apropriado para interceptá-los. A fragata de mísseis Meizhou da Frota Marítima do Sul da China abateu um míssil antinavio na primeira tentativa.

De acordo com o especialista militar Song Zhongping, os exercícios ajudarão a "fortalecer a capacidade de defesa em resposta a possíveis ameaças de mísseis antinavio do Japão, Estados Unidos e outros países próximos à China". Além disso, os sistemas antimíssil no mar contribuirão para proteger as áreas costeiras do país.

"A capacidade antimíssil é essencial para construir uma Marinha estratégica e totalmente funcional, de maneira a garantir que o Exército Popular de Libertação (PLA) esteja preparado para combater", destacou.

De 10 a 13 de agosto, a Marinha chinesa efetuou manobras navais "importantes" para garantir segurança do país.

Postar um comentário

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas