Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Militares juntam-se à polícia em protesto dos "coletes amarelos". Há 31 detidos

Os militares da operação antiterrorista "Sentinela" foram mobilizados para proteger as principais instituições francesas. Ao final da manhã, os coletes amarelos eram ainda em pequeno número na capital e quase invisíveis entre a população.
Diário de Notícias

As forças armadas francesas juntaram-se à polícia, este sábado, em Paris, para enfrentar o 19º fim de semana consecutivo de protestos dos coletes amarelos contra o governo do presidente Emmanuel Macron. Ao final da manhã, com os locais habituais de manifestação interditos e o reforço militar junto às principais instituições francesas, os "coletes amarelos" passavam quase despercebidos entre turistas e parisienses.

Segundo a Reuters, o governo francês decidiu mobilizar os militares da operação antiterrorista "Sentinela", depois de ter proibido os manifestantes de se reunirem nos Campos Elísios, onde no último fim de semana dezenas de lojas foram destruídas e algumas completamente pilhadas.

Além da presença …

Mísseis ucranianos 'superam' mísseis russos, declara político ucraniano

O chefe do Conselho Nacional de Segurança e Defesa da Ucrânia, Aleksandr Turchinov, considera que os mísseis ucranianos não são inferiores aos análogos russos, mas até os "superam".


Sputnik

Segundo informou a assessoria de imprensa do Conselho durante visita à construtora ucraniana Luch, Turchinov tomou conhecimento das novas tecnologias de produção de mísseis.

Resultado de imagem para Stugna-P
Míssil antitanque ucraniano Stugna-P | Reprodução

"Para nós é muito importante o fato de que os mísseis da Luch não são inferiores, mas, pelo contrário, são melhores pelas suas capacidades de combate que as armas análogas de produção russa", a assessoria de imprensa cita as palavras de Turchinov.

Segundo ele, os sistemas de mísseis antitanque ucranianos Skif, Stunga, Korsar, Sarmat e Barier são famosos fora da Ucrânia e são "produtos de grande procura nos mercados estrangeiros de armamento".

Além disso, Turchinov discutiu com a administração da Ukroboronprom (consórcio de empresas industriais militares do Estado) e o escritório de projetos Luch a realização do programa nacional de mísseis, em particular, os novos modelos de lançadores múltiplos de foguetes e de sistemas de mísseis antiaéreos.

A Ucrânia informa periodicamente sobre testes de novas armas, mas depois frequentemente se verifica que são tecnologias da época soviética. Assim, no fim de julho, internautas zombaram da aparência dos sistemas de mísseis antitanque Stugna-P e Korsar apresentados pela empresa Luch. Muitas pessoas duvidaram que os sistemas tenham sido elaborados na Ucrânia.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas