Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Por que alguns países ocidentais não querem libertação de Idlib?

A libertação de Idlib marcará a vitória total das forças governamentais e o fracasso dos planos de países ocidentais de derrubar as autoridades legítimas sírias.
Sputnik

No entanto, segundo Pierre Le Corf, ativista francês que vive em Aleppo, a tarefa não será fácil. 


"Será muito difícil libertar Idlib, porque todas as forças da coalizão lideradas pelos EUA e governos [ocidentais] envolvidos na guerra até o momento se opõem à libertação da província", disse Le Corf à Sputnik França.

Ele comentou que assim que a província síria de Idlib for libertada, terá que "libertar as zonas ocupadas ilegalmente pelos EUA, França e até pela Itália no norte do país". Por esse motivo, nenhum desses países quer a libertação da província.

Le Corf salientou que a intenção de manter o status atual poderia levar a "um massacre da população civil de Idlib", referindo-se às múltiplas advertências dos militares sírios e russos sobre a possível encenação de ataques químicos com o prop…

Novos 'dentes' do 'Aligátor' russo: é explicado por que Ka-52 não tem análogos no mundo

Os helicópteros russos Ka-52 são as únicas aeronaves de asas rotativas no mundo equipadas com mísseis supersônicos antinavio, o que, se somando a outras características de combate marcantes, tornam-nos em aparelhos ímpares.


Sputnik

Essa foi a conclusão dos autores do portal militar Miltiary Watch ao analisarem os helicópteros Ka-52 russos. Estas aeronaves, apelidadas também Alligator (Aligátor, em português), operam em serviço do exército russo desde 2011, enquanto os engenheiros têm constantemente aumentando seu potencial de combate, inclusive com base na experiência ganha na campanha militar russa na Síria.

Helicópteros Ka-52 (foto de arquivo)
Kamov Ka-52 Alligator © Sputnik / Viktor Tolochko

Por exemplo, os especialistas russos planejam em breve modernizar o sistema giroestabilizador óptico-eletrônico, chamado de artigo GOES-451. Tal modificação permitirá aumentar a eficácia da utilização de mísseis guiados antitanque.

O alcance de detecção e identificação de equipamento blindado no canal de televisão em condições diurnas deverá, depois da modernização, corresponder a ao menos oito e dez quilômetros, enquanto no canal de termovisão deverá ser de ao menos oito e cinco quilômetros em quaisquer condições de visibilidade.

Os analistas do portal também chamam atenção para que os Alligator embarcados (modificação Ka-52K), além de tudo o mais, são equipados com mísseis Kh-31 e Kh-35, enquanto normalmente tal tipo de armamentos é destinado a equipar aviões.

O primeiro míssil é capaz de atingir a velocidade de Mach 3,1 (o que equivale a 3.827 km/h) podendo na versão básica atingir alvos a uma distância de até 110 km. O Kh-35 é um míssil subsônico, mas seu raio de alcance é de 300 km, o que completa as capacidades de combate do helicóptero.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas