Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Militares juntam-se à polícia em protesto dos "coletes amarelos". Há 31 detidos

Os militares da operação antiterrorista "Sentinela" foram mobilizados para proteger as principais instituições francesas. Ao final da manhã, os coletes amarelos eram ainda em pequeno número na capital e quase invisíveis entre a população.
Diário de Notícias

As forças armadas francesas juntaram-se à polícia, este sábado, em Paris, para enfrentar o 19º fim de semana consecutivo de protestos dos coletes amarelos contra o governo do presidente Emmanuel Macron. Ao final da manhã, com os locais habituais de manifestação interditos e o reforço militar junto às principais instituições francesas, os "coletes amarelos" passavam quase despercebidos entre turistas e parisienses.

Segundo a Reuters, o governo francês decidiu mobilizar os militares da operação antiterrorista "Sentinela", depois de ter proibido os manifestantes de se reunirem nos Campos Elísios, onde no último fim de semana dezenas de lojas foram destruídas e algumas completamente pilhadas.

Além da presença …

ONU estuda denúncia de proibição secreta para reconstrução da Síria

A ONU está estudando a denúncia feita pelo ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov, em relação a um documento secreto que circula na Organização, proibindo apoio à restauração da Síria.


Sputnik

Durante uma coletiva de imprensa realizada nesta segunda-feira, Stéphane Dujarric, o porta-voz do secretário-geral da ONU, afirmou aos jornalistas que a denúncia está sendo estudada.

O enviado da ONU para a Síria, Staffan De Mistura, com documentos nos Escritórios das Nações Unidas em Genebra, em 25 de janeiro de 2016
© AFP 2018 / Fabrice Coffrini

Mais cedo nesta segunda-feira, Sergei Lavrov declarou que o secretariado das Nações Unidas emitiu ordens secretas proibindo diversos departamentos da organização de participar dos esforços para a restauração da economia síria. Moscou encaminhou uma mensagem sobre o tema para o secretário-geral, acrescentou chanceler russo.

"Estamos estudando essa questão e informações adicionais podem surgir um pouco mais tarde", explicou Dujarric.

"A nossa atenção está voltada para a normalização política. Não tenho novidades sobre questões relacionadas à restauração [da Síria]", concluiu o porta-voz da organização.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas