Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Primeiro voo do Aero L-159T2

A Aero Vodochody realizou o primeiro voo do treinador a jato L-159T2 de dois lugares em 1º de agosto. O voo de 30 minutos foi conduzido pelos pilotos de testes da empresa Vladimír Kvarda e David Jahoda.
Poder Aéreo

A Força Aérea Tcheca encomendou três exemplares em 2016, que devem ser entregues até o final deste ano. As aeronaves L-159 são operadas pelas forças aéreas tcheca e iraquiana, pela empresa americana Draken International e, no passado, foram alugadas pela Força Aérea Húngara para treinamento de pilotos.

Estas novas aeronaves de assento duplo T2 têm uma fuselagem central e dianteira recém-construída e apresentam várias melhorias significativas, principalmente em equipamentos de cockpit e sistema de combustível, e são totalmente compatíveis com o NVG. Cada cockpit é equipado com duas telas multifuncionais e um assento de ejeção VS-20 atualizado. A aeronave também pode oferecer uma capacidade de reabastecimento sob pressão. O radar GRIFO, já em uso na versão de um único assento, a…

Por que Israel prefere caças antigos F-15 aos novos F-35?

A Força Aérea de Israel prefere os aviões antigos F-15 Eagle aos mais novos F-35 Joint Strike Fighter. De acordo com a matéria da revista norte-americana Popular Mechanics, o motivo é determinado pelo potencial adversário de Israel, o Irã. Nas operações contra este país, são necessários aviões capazes de carregar a bordo mais combustível e armas.


Sputnik

De acordo com a edição, Israel divide o seu parque aéreo militar em duas categorias: os aviões que são capazes de atacar alvos na fronteira com o Líbano e a Síria, e os aviões capazes de atingir alvos remotos, mas importantes, tais como as instalações nucleares iranianas. Israel possui os F-35 para resolver a primeira tarefa, e os F-15 para a segunda. Embora o F-35 seja mais moderno e mais furtivo, carece de alcance para atingir alvos no Irã.

F-15 da Força Aérea israelense, foto de arquivo
F-15 israelense © AP Photo / Ariel Schalit

Pelo contrário, Israel utiliza os F-15 há mais de 40 anos, tendo sido um dos primeiros países a receber os aviões e a utilizá-los em ação. O F-15 assegura a combinação de potência e alcance, o que permite a Israel atingir alvos inacessíveis para a maioria dos veículos de combate, destacou a revista.

Segundo a matéria, apesar de possuir meios de comunicação modernos e sensores, a maior desvantagem do F-35 é sua relativamente baixa capacidade de portar bombas. Neste sentido, os engenheiros israelenses estão limitados em seus desejos de modernizar o avião.

Sendo assim, Israel provavelmente vai suspender a compra dos F-35, se limitando a 50 aviões do tipo, e vai encomendar os restantes 25 somente após a aquisição de um grande número de aeronaves F-15, sugeriu a revista. O país planeja adquirir de 20 a 25 novíssimos F-15 2040C. Estes aviões são dotados de um radar moderno, um sensor orientado por infravermelho para detecção remota, bem como da capacidade de portar até 16 mísseis AMRAAM de médio alcance. Na versão israelense também será utilizado um equipamento de troca de dados com outros aviões.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas