Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

EUA: sanções contra Venezuela servem como 'alerta para atores externos, incluindo Rússia'

Na última terça-feira (17), o secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, culpou a Rússia e a Venezuela pela crise de refugiados observada no país latino-americano.
Sputnik

O conselheiro de Segurança Nacional dos EUA, John Bolton, anunciou nesta quarta-feira (17) que os EUA estão impondo uma nova rodada de sanções contra a Venezuela, acrescentando o banco central do país à lista de restrições. 

Segundo o conselheiro de Segurança Nacional, as sanções recém-aplicadas deveriam se tornar um alerta para "todos os atores externos, inclusive a Rússia".

Desde o início da crise política na Venezuela no início deste ano, os EUA impuseram várias rodadas de sanções, visando os setores petrolífero e bancário do país, bem como indivíduos ligados às autoridades do país.

A Venezuela está sofrendo grave crise política desde janeiro. Junto com outros países ocidentais, os EUA apoiam Juan Guaidó, que se proclamou presidente interino da Venezuela. Ao mesmo tempo, Rússia, China e Turquia, entre outros…

Quais são chances do Su-35 russo frente aos caças furtivos dos EUA?

O caça russo de quarta geração Su-35 supera significativamente todos os análogos ocidentais, mas a sua capacidade de lutar de igual para igual contra os caças furtivos de quinta geração dos EUA F-22 e F-35 por enquanto não é confirmada, escreve a revista The National Interest.


Sputnik

Conforme a edição, a vantagem principal dos caças Su-35 é sua supermanobrabilidade. Esta é atingida graças aos motores turboreativos AL-41F1S que permitem ao avião atacar de ângulos muito altos, fazer manobras mais difíceis, bem como facilmente evitar os mísseis inimigos.

Caça Su-35 no ar durante o concurso em Primorie
Sukhoi Su-35 © Sputnik / Anton Balashov

O avião é capaz de atingir a velocidade de 2.756 km/h, a sua altitude máxima é de 18 quilômetros e o alcance de voo pode atingir 4.500 quilômetros.

Conforme a NI, o Su-35 usa os mísseis de radares autoguiados K-77M com um alcance de mais de 190 quilômetros. A curtas distâncias é usado o míssil R-74 com direção de infravermelhos, que o piloto pode dirigir independentemente com ajuda de um sistema de pontaria ótica no capacete. Além disso, no arsenal do Su-35 há mísseis R-27 de médio alcance e R-37 de longo alcance, destinados a lutar contra os sistemas de radares de longo alcance e aviões de reabastecimento em condições de guerra radioeletrônica.

O mais importante meio de luta do Su-35 contra os caças furtivos, como se supõe, é o radar Irbis-E de matriz faseada passiva com escaneamento eletrônico, bem como o sistema ótico de localização OLS-35.

Conforme a revista, todos esses fatores fazem com que o Su-35 supere todos os análogos ocidentais de quarta geração, incluindo os americanos F-15 e europeus Eurofighter e Rafale.

No entanto, todas as suas vantagens, de acordo com a edição, não o ajudarão na luta contra os caças furtivos norte-americanos de quinta geração F-22 e F-35, que poderão detectar o caça russo à distância de até 160 quilômetros e lançar uma série de mísseis contra o avião. Mas mesmo assim, o Su-35 pode opor resistência ao F-22 e F-35 se de qualquer maneira reduzir a distância e entrar na zona de detecção visual e infravermelha.

Apesar de todos os argumentos, a revista conclui que é difícil dizer ao certo qual dos aviões é melhor e só os testes de combate poderão decidir, já que o resultado da luta aérea depende muito de outros fatores, tais como equipamento adicional, preparação do piloto ou trajetória de voo.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas