Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Primeiro voo do Aero L-159T2

A Aero Vodochody realizou o primeiro voo do treinador a jato L-159T2 de dois lugares em 1º de agosto. O voo de 30 minutos foi conduzido pelos pilotos de testes da empresa Vladimír Kvarda e David Jahoda.
Poder Aéreo

A Força Aérea Tcheca encomendou três exemplares em 2016, que devem ser entregues até o final deste ano. As aeronaves L-159 são operadas pelas forças aéreas tcheca e iraquiana, pela empresa americana Draken International e, no passado, foram alugadas pela Força Aérea Húngara para treinamento de pilotos.

Estas novas aeronaves de assento duplo T2 têm uma fuselagem central e dianteira recém-construída e apresentam várias melhorias significativas, principalmente em equipamentos de cockpit e sistema de combustível, e são totalmente compatíveis com o NVG. Cada cockpit é equipado com duas telas multifuncionais e um assento de ejeção VS-20 atualizado. A aeronave também pode oferecer uma capacidade de reabastecimento sob pressão. O radar GRIFO, já em uso na versão de um único assento, a…

Revista norte-americana revela 'arma secreta' do tanque Armata

A arma secreta do tanque T-14, criado na base do Armata, é o sistema de proteção ativa Afganit, escreveu a revista National Interest.


Sputnik

De acordo com a edição, a proteção ativa do novíssimo tanque russo foi completada com "inovações e sistemas nunca antes vistos". Os desenvolvedores do Afganit pretendiam combinar em um só sistema as vantagens de dois: do sistema de proteção antitanque Drozd e do sistema de supressão ativa ótica e eletrônica Shtora.

Tanque da terceira geração T-14 Armata
Tanque russo T-14 Armata © Sputnik / Maksim Blinov

De acordo com a edição, o Afganit compreende a instalação de dois radares de varredura eletrônica ativa dos dois lados do canhão, cada um dos quais teria um ângulo de varredura um pouco maior que 90°. Estes radares funcionarão tanto em regime ativo, como em regime passivo. No regime passivo seriam capazes de detectar estações de radar de detecção de alvos terrestres e até, talvez, interceptar sinais enviados a mísseis guiados antitanque.

Além disso, o novo sistema incluirá um conjunto de sensores óticos para monitorar lançamentos de mísseis antitanque. Para os mesmos fins, o sistema será equipado com receptores a laser, utilizados desde os anos 80.

De acordo com a revista, o sistema Afganit inclui a instalação na parte traseira da torre do tanque de lançadores que disparam substâncias especiais para criação de cortinas de fumaça e dispersão de materiais que produzem a reflexão de ondas de rádio ou radiação térmica.

Além disso, o novo sistema incluirá uma plataforma que dispara projetis de choque com uma velocidade de cerca de 1,7 quilômetros por segundo para interceptar projetis antitanque, caso os meios de proteção "suaves" não sejam eficazes.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas