Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Marinha do Brasil prevê inaugurar estação na Antártica em 2020, oito anos após incêndio

Obra é executada por uma empresa chinesa e, segundo a Marinha, se aproxima do final. Incêndio em 2012 destruiu estação, e dois militares morreram.
Por Guilherme Mazui | G1 — Brasília

Passados sete anos desde o incêndio que destruiu a Estação Antártica Comandante Ferraz, a Marinha prevê inaugurar a nova estação em março de 2020.

Executada pela empresa chinesa Ceiec, a obra se aproxima do final, segundo a Marinha, que prevê concluir as obras civis e a instalação de máquinas e mobiliário até 31 de março, iniciando um período de testes do complexo científico até março de 2020. Após os testes, a estação poderá receber militares e pesquisadores.

"A previsão de inauguração é março de 2020, quando os pesquisadores e o Grupo-Base [de militares] deverão ocupar em definitivo as instalações da nova Estação Antártica Comandante Ferraz", informou a Marinha ao G1.

Com investimento de US$ 99,6 milhões, o complexo receberá profissionais que atuam no Programa Antártico Brasileiro (Proantar), criad…

Rússia alerta: Perigo em área no Mediterrâneo onde realizará exercícios militares

Os exercícios militares russos no Mediterrâneo envolverão 26 navios de guerra e submarinos, além de 34 aeronaves de combate, disse o comandante-em-chefe da Marinha russa, almirante Vladimir Korolev. A Marinha Russa e as Forças Aeroespaciais realizarão exercícios navais conjuntos em grande escala no Mar Mediterrâneo de 1 a 8 de setembro.


Sputnik

"Um total de 26 embarcações de combate, incluindo dois submarinos, bem como 34 aeronaves farão parte dos exercícios de treinamento. O navio de combate de mísseis do Marechal Ustinov, da Frota do Norte, liderará a força-tarefa naval que participará dos exercícios", disse Korolev. em uma reunião.

Caça-minas Kovrovets (à esquerda) e Ivan Golubets durante o Dia da Marinha da Rússia em Sevastopol, Crimeia
Caça-minas Kovovets e Ivan Golubets © Sputnik / Aleksei Malgavko

De acordo com o chefe da marinha russa, os exercícios navais também envolverão bombardeiros estratégicos Tu-160, aviões de guerra anti-submarinos Tu-142 e Il-38, bem como caças Su-33 e Su-30SM.

Além disso, o comandante-em-chefe da marinha russa, almirante Vladimir Korolev, advertiu que a área de treinamento naval no Mediterrâneo foi declarada temporariamente perigosa para a navegação regular e o tráfego aéreo.

O chefe da marinha russa sublinhou que, após a conclusão dos exercícios, as forças participantes retornarão às suas bases domésticas.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas