Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Defesa do Brasil tem maior gasto com pessoal na década, e investimento militar cai

Despesas com ativos e inativos crescem R$ 7,1 bi em 2019, reflexo de aumento salarial
Por Igor Gielow e Gustavo Patu | Folha de S.Paulo

A previsão de gasto militar para o primeiro ano de governo do capitão reformado do Exército Jair Bolsonaro (PSL) traz o maior aumento de despesa com pessoal em dez anos e uma redução expressiva do investimento em programas de reequipamento das Forças Armadas.
Não fosse uma criatividade contábil dos militares, que conseguiram recursos com a capitalização de uma estatal para comprar novos navios, a despesa de investimento seria a menor desde 2009.

A Folha analisou a série histórica com a ferramenta de acompanhamento orçamentário Siga Brasil, do Senado. Para este ano, o Ministério da Defesa, ainda na gestão Michel Temer (MDB), planejou gastar R$ 104,2 bilhões, o quarto maior volume da Esplanada.

Desse montante, R$ 81,1 bilhões irão para pessoal, R$ 13,3 bilhões, para gastos correntes (custeio) e R$ 9,8 bilhões, para investimentos. Os valores não incluem o con…

Rússia cria reator nuclear 'eterno' para novos submarinos

Conforme a subsidiária da corporação nuclear russa Rosatom, na Rússia foi criado e testado pela primeira vez um novo "coração" de reatores nucleares para submarinos atômicos, uma instalação que pode funcionar durante toda a vida do submarino sem necessidade de reabastecimento de combustível nuclear.


Sputnik

A chamada "zona ativa" é o "coração" do reator. Ela contém o combustível nuclear e é exatamente nela que ocorre a reação em cadeia. A nova tecnologia da subsidiária OKBM Afrikantov significa que os submarinos russos não precisarão de reabastecimento de combustível.

Submarino nuclear russo de classe Borei (foto de arquivo)
Submarino nuclear russo da Classe Borei © Sputnik / Sevmash

Segundo notou o ex-comandante da Frota do Norte, almirante Vyacheslav Popov, a criação do reator "eterno" tem enorme importância para a prontidão de combate da Marinha russa.

"Com tal reator [que não requer reabastecimento] o coeficiente de eficácia do submarino aumenta várias vezes", ressaltou Popov.

Na lista dos submarinos de quarta geração estão os do projeto Borei e Yasen.

Além disso, foi declarado que a Rússia pode ajudar a Coreia do Sul a construir um reator nuclear para navios oceânicos com base no reator RITM-200, que será instalado nos novíssimos quebra-gelos atômicos russos.

"Em novembro de 2017, durante o encontro em Nizhny Novgorod, os representantes do Instituto Coreano de Pesquisas da Energia Atômica (KAERI na sigla em inglês) relataram que atualmente a parte coreana considera a possibilidade de desenvolver o conceito de um novo reator com a potência de 150-200 megawatts para os navios oceânicos com base no design do reator RITM-200", diz o relatório da subsidiária da Rosatom.

"A parte russa disse estar pronta a cooperar com a parte coreana na fabricação de um reator nuclear 'chave na mão', caso a Coreia envie à Rússia o respectivo pedido oficial de cooperação e este tenha a aprovação necessária da corporação governamental Rosatom", adiciona o documento.

O RITM-200 é um reator nuclear elaborado pela empresa OKBM Afrikantov destinado a ser instalado nos quebra-gelos nucleares e estações atômicas flutuantes.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas