Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Empresa chinesa faz peças para F-35? Revelação surge em meio a polêmicas envolvendo Huawei

Em meio à briga contínua entre os EUA e a gigante tecnológica chinesa Huawei, classificada como ameaça à segurança por Washington, verificou-se que uma subsidiária com sede no Reino Unido de uma companhia chinesa fabrica peças para os jatos americanos F-35.
Sputnik

Trata-se da companhia chinesa Exception PCB, com sede no condado britânico de Gloucestershire, que fabrica placas de circuitos que controlam os motores, iluminação, combustível e sistemas de navegação dos caças F-35 – o sistema de armas mais caro já feito.

De acordo com a emissora britânica Sky, citando materiais divulgados pelo Ministério da Defesa do Reino Unido, a empresa que fabrica componentes para os caças da Lockheed Martin foi comprada em 2013 pela companhia chinesa Shenzhen Fastprint, que inclusive já participou da fabricação de caças Eurofighter Typhoon e de helicópteros de ataque Apache.

"A Exception PCB, com sede em Gloucestershire, fabrica placas de circuito impresso que controlam muitas das principais capacid…

Terroristas na Síria estão se preparando para 'guerra sem território', diz politólogo

Na Síria, cinco drones, que estavam se aproximando da base aérea russa de Hmeymim, foram destruídos pelo sistema de defesa antiaérea da Rússia. Qual seria o propósito de tais ataques? Em entrevista ao serviço russo da Rádio Sputnik, o especialista Stanislav Tarasov respondeu à questão.


Sputnik
Os militares russos destruíram cinco drones que estavam se aproximando da base aérea de Hmeymim localizada na Síria, disse o chefe do Centro Russo de Reconciliação síria, major-general Aleksei Tsygankov.

Um helicóptero Mi-24 russo patrulha a base aérea russa Hmeymim na Síria
Mi-24 russo na base aérea de Hmeymim, Síria © Sputnik / Dmitry Vinogradov

Não houve vítimas ou danos materiais e, após o ataque, a base continuou funcionando normalmente.

Aumentaram-se os casos de destruição de drones lançados em direção à base aérea de Hmeymim, em comparação com meses anteriores. No total, somente em agosto, seis drones enviados por terroristas foram abatidos.

O cientista político Stanislav Tarasov, especialista em problemas de países do Oriente Médio e do Cáucaso, avaliou a situação.

"A vitória na Síria já foi obtida, e isso é dito não apenas pelo comando militar russo, mas também pelas Forças Armadas americanas, e representantes da ONU afirmam que a maioria dos territórios está livre e sendo controlada pelo governo. No entanto, existem alguns focos de resistência por parte do Daesh [grupo terrorista proibido na Rússia], e esses ataques de drones, que recentemente se tornaram mais frequentes, em minha opinião, são de natureza investigativa", afirmou Tarasov.

"Há um sentimento de que o 'califado' está se preparando para uma guerra sem território. Não é coincidência que eles estejam criando 'centros flutuantes', movendo-se parcialmente para algumas áreas difíceis de alcançar na Síria".

"É possível que eles tentem ganhar uma posição no território iraquiano, em parte já estão no território do Afeganistão. E esses drones são o chamado 'fogo perturbador' e o desejo de fazer pelo menos uma pequena malícia", concluiu o analista.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas