Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Putin ameaça retaliar se EUA instalarem mísseis na Europa

Em seu discurso sobre o estado da nação, presidente russo faz ataques a Washington e promete apontar seu arsenal para os Estados Unidos e para o continente europeu se mísseis americanos atravessarem o Atlântico.
Deutsch Welle

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, alertou nesta quarta-feira (20/02) que seu país responderá a um possível envio de mísseis americanos à Europa, fazendo com que não apenas os países que receberem esses armamentos se tornem alvos, mas também os Estados Unidos.


Em seu discurso anual sobre o estado da nação em Moscou, Putin elevou o tom ao comentar uma nova e potencial corrida armamentista. Ele afirmou que a reação russa a um possível envio seria rigorosa e que as autoridades em Washington – algumas das quais estariam obcecadas com o "excepcionalismo" americano – deveriam calcular os riscos antes de tomar qualquer medida.

"É o direito deles de pensar da forma que quiserem. Mas eles sabem fazer cálculos? Tenho certeza que sabem. Deixemos que eles cal…

Análise: ataque israelense que levou ao abate do Il-20 russo é reação a acordo sobre Idlib

O incidente com o avião russo na Síria põe em questão a futura cooperação entre Moscou e Damasco. No entanto, um especialista omani assegura que os dois países continuarão lutando contra o terrorismo e também revela o que, em sua opinião, provocou tais ações por parte de Israel.


Sputnik

Ali ben Masoud al-Mashani, especialista omani em assuntos regionais, afirmou em entrevista à Sputnik Árabe que o incidente com o avião russo Il-20 abatido na Síria não irá abalar a cooperação russo-síria na área de combate ao terrorismo.

Avião russo Il-20 (foto de arquivo)
Ilyushin Il-20 © REUTERS / Sergei Pivovarov

"O incidente com o avião russo foi resultado do desenvolvimento de uma situação perigosa; mas vale a pena lembrar que essa tragédia aconteceu por causa do ataque contra a Síria. O espaço aéreo sírio foi violado", sublinhou o especialista.

Além disso, ele destacou que "nessa etapa é necessário condenar rigorosamente as ações de todos os participantes dessa operação. Sim, o erro foi do sistema de defesa aérea síria, mas foi provocado por aviões israelenses".

Ao mesmo tempo, o especialista não excluiu a possibilidade de que a cooperação militar entre Damasco e Moscou piore.

"Ambas as partes sabem que a agressão israelense foi uma resposta aos acordos sobre [a trégua em] Idlib firmados em Sochi entre Moscou e Ancara", indicou.

O Il-20 foi abatido sobre o mar Mediterrâneo no dia 17 de setembro, a 35 quilômetros da costa síria, por um míssil do sistema antiaéreo S-200 da Síria, resultando na morte de 15 militares.

Ao mesmo tempo, quatro caças F-16 atacaram instalações sírias em Latakia. De acordo com o Ministério da Defesa da Rússia, os pilotos israelenses usaram o avião Il-20 como cobertura, expondo-o ao impacto da defesa antiaérea síria.

Comentários

Postagens mais visitadas