Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

EUA podem dobrar contingente militar na América do Sul, diz chefe da inteligência russa

Os EUA podem aumentar seu contingente militar na América Central e do Sul de 20 mil para 40 mil homens, disse o vice-almirante Igor Kostyukov, chefe do Departamento Central de Inteligência (GRU, sigla em russo), do Estado-Maior das Forças Armadas da Rússia.
Sputnik

"Embora na América Latina não haja ameaça militar direta para a segurança dos EUA, Washington tem uma presença militar significativa [na região]. O Comando Conjunto das Forças Armadas dos EUA implantou na América Central e do Sul um contingente de 20 mil militares. No período de ameaças este pode aumentar para 40 mil militares", explicou Kostyukov.


De acordo com ele, os EUA podem provocar uma "revolução colorida" na Nicarágua e Cuba.

"As tecnologias de 'revolução colorida' testadas na Venezuela podem vir a ser usadas em breve na Nicarágua e em Cuba", disse ele.

Segundo Kostyukov, os EUA estão tentando estabelecer o controle total sobre a América Latina.

"A Administração dos EUA considera…

Análise: ataque israelense que levou ao abate do Il-20 russo é reação a acordo sobre Idlib

O incidente com o avião russo na Síria põe em questão a futura cooperação entre Moscou e Damasco. No entanto, um especialista omani assegura que os dois países continuarão lutando contra o terrorismo e também revela o que, em sua opinião, provocou tais ações por parte de Israel.


Sputnik

Ali ben Masoud al-Mashani, especialista omani em assuntos regionais, afirmou em entrevista à Sputnik Árabe que o incidente com o avião russo Il-20 abatido na Síria não irá abalar a cooperação russo-síria na área de combate ao terrorismo.

Avião russo Il-20 (foto de arquivo)
Ilyushin Il-20 © REUTERS / Sergei Pivovarov

"O incidente com o avião russo foi resultado do desenvolvimento de uma situação perigosa; mas vale a pena lembrar que essa tragédia aconteceu por causa do ataque contra a Síria. O espaço aéreo sírio foi violado", sublinhou o especialista.

Além disso, ele destacou que "nessa etapa é necessário condenar rigorosamente as ações de todos os participantes dessa operação. Sim, o erro foi do sistema de defesa aérea síria, mas foi provocado por aviões israelenses".

Ao mesmo tempo, o especialista não excluiu a possibilidade de que a cooperação militar entre Damasco e Moscou piore.

"Ambas as partes sabem que a agressão israelense foi uma resposta aos acordos sobre [a trégua em] Idlib firmados em Sochi entre Moscou e Ancara", indicou.

O Il-20 foi abatido sobre o mar Mediterrâneo no dia 17 de setembro, a 35 quilômetros da costa síria, por um míssil do sistema antiaéreo S-200 da Síria, resultando na morte de 15 militares.

Ao mesmo tempo, quatro caças F-16 atacaram instalações sírias em Latakia. De acordo com o Ministério da Defesa da Rússia, os pilotos israelenses usaram o avião Il-20 como cobertura, expondo-o ao impacto da defesa antiaérea síria.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas