Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Marinha do Brasil prevê inaugurar estação na Antártica em 2020, oito anos após incêndio

Obra é executada por uma empresa chinesa e, segundo a Marinha, se aproxima do final. Incêndio em 2012 destruiu estação, e dois militares morreram.
Por Guilherme Mazui | G1 — Brasília

Passados sete anos desde o incêndio que destruiu a Estação Antártica Comandante Ferraz, a Marinha prevê inaugurar a nova estação em março de 2020.

Executada pela empresa chinesa Ceiec, a obra se aproxima do final, segundo a Marinha, que prevê concluir as obras civis e a instalação de máquinas e mobiliário até 31 de março, iniciando um período de testes do complexo científico até março de 2020. Após os testes, a estação poderá receber militares e pesquisadores.

"A previsão de inauguração é março de 2020, quando os pesquisadores e o Grupo-Base [de militares] deverão ocupar em definitivo as instalações da nova Estação Antártica Comandante Ferraz", informou a Marinha ao G1.

Com investimento de US$ 99,6 milhões, o complexo receberá profissionais que atuam no Programa Antártico Brasileiro (Proantar), criad…

Assad: derrubada de avião russo na Síria foi resultado da arrogância israelense

O presidente sírio, Bashar Assad, enviou uma carta ao presidente russo, Vladimir Putin, expressando condolências pela derrubada do avião russo Il-20 na Síria, segundo informou a mídia local nesta quarta-feira.


Sputnik

No documento, de acordo com a agência SANA, Assad diz a Putin que o incidente teria sido provocado pela arrogância de Israel, embora a aeronave tenha sido alvo de um míssil disparado por sistemas de defesa da Síria. O líder sírio também afirma esperar que essa tragédia não atrapalhe a luta conjunta de Damasco e Moscou contra o terrorismo. 

O presidente sírio, Bashar Assad, durante um discurso para diplomatas, em 20 de agosto de 2017
Bashar Assad © AP Photo / Página do Facebook da Presidência da Síria

Na última segunda-feira, o Ministério da Defesa russo informou que um avião Il-20 desapareceu dos radares quando retornava à base aérea de Hmeymim, na Síria. Mais tarde, a Defesa russa descobriu que a aeronave teria sido derrubada por sistemas de defesa antiaérea da Síria devido a um cenário criado por caças israelenses, que se posicionaram por trás dela. Os 15 militares que estavam a bordo morreram.

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, qualificou o ocorrido como "uma sequência de circunstâncias trágicas". Israel, por sua vez, decidiu enviar uma delegação de militares a Moscou para explicar, nesta quinta-feira, 20, detalhes do incidente.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas