Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Empresa chinesa faz peças para F-35? Revelação surge em meio a polêmicas envolvendo Huawei

Em meio à briga contínua entre os EUA e a gigante tecnológica chinesa Huawei, classificada como ameaça à segurança por Washington, verificou-se que uma subsidiária com sede no Reino Unido de uma companhia chinesa fabrica peças para os jatos americanos F-35.
Sputnik

Trata-se da companhia chinesa Exception PCB, com sede no condado britânico de Gloucestershire, que fabrica placas de circuitos que controlam os motores, iluminação, combustível e sistemas de navegação dos caças F-35 – o sistema de armas mais caro já feito.

De acordo com a emissora britânica Sky, citando materiais divulgados pelo Ministério da Defesa do Reino Unido, a empresa que fabrica componentes para os caças da Lockheed Martin foi comprada em 2013 pela companhia chinesa Shenzhen Fastprint, que inclusive já participou da fabricação de caças Eurofighter Typhoon e de helicópteros de ataque Apache.

"A Exception PCB, com sede em Gloucestershire, fabrica placas de circuito impresso que controlam muitas das principais capacid…

Bombardeiros russos são escoltados por jatos britânicos durante exercícios

Dois bombardeiros estratégicos russos Tu-160 realizaram voos sobre águas neutras perto do Ártico, com apoio de caças MiG-31, segundo informou o Ministério da Defesa da Rússia na noite desta quinta-feira.


Sputnik

"Dois bombardeiros estratégicos Tu-160 realizaram um voo planejado sobre as águas neutras das bacias dos mares de Barents, Noruega e Norte. O apoio de aviação à aeronave de longo alcance foi fornecido pelas tripulações dos caças MiG-31", disse a Defesa russa em comunicado, explicando que o exercício teria durado mais de 14 horas.

Um bombardeiro estratégico Tu-160 da Força Aeroespacial russa
Bombardeiro russo Tupolev Tu-160 © Sputnik / Vladimir Sergeev

Durante o voo, ainda de acordo com o ministério, as aeronaves russas teriam recebido a companhia de aviões da Força Aérea Real, do Reino Unido, dos modelos Eurofighter Typhoon e F-16, embora não tenham violado o espaço aéreo de nenhum país.

De acordo com a Defesa britânica, no entanto, seus aviões apenas monitoraram os bombardeiros russos se aproximando do espaço aéreo do Reino Unido e, embora não tenha ocorrido qualquer violação, decidiram escoltar as aeronaves para o norte.

"Os bombardeiros russos de longo alcance Blackjacks [Tu-160] não estavam respondendo ao controle de tráfego aéreo, tornando-os um perigo para todas as outras aeronaves", disseram as autoridades britânicas ao explicar a situação.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas