Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Marinha do Brasil abre processo administrativo para apurar vídeo de militares dançando 'Jenifer' em navio

Em nota, a Marinha informou que e 'foi constatado comportamento completamente incompatível com as tradições' e que irá apurar o ocorrido.
Por G1 Rio

A Marinha do Brasil instaurou um processo administrativo para apurar um vídeo em que um grupo de militares aparece dançando a música "Jenifer" em um navio oficial.


A embarcação, segundo a Marinha, é o Aviso de Instrução Guarda-Marinha Brito, que fica sediado no Rio de Janeiro. A gravação foi feita durante o estágio de mar de militares.

Em nota, a Marinha informou que "foi constatado comportamento completamente incompatível com as tradições da Marinha" e que, para ampliar a apuração do ocorrido, foi instaurado um procedimento administrativo "cuja conclusão, certamente, conterá as propostas pertinentes às necessárias correções no inaceitável comportamento".

Assista o vídeo

Caça furtivo J-20 aproxima-se da produção em massa após correção de problemas no motor

O propulsor melhorado dará ao jato chinês a capacidade de voar sem ser detectado em velocidades supersônicas, a par com o F-35 dos Estados Unidos


Poder Aéreo

Um motor novo e melhorado projetado para tornar o caça furtivo J-20 da China um jato de combate de classe mundial deve estar pronto para a produção em massa até o final do ano, disseram fontes militares.

Chengdu J-20
Chengdu J-20

O motor WS-15 apresenta lâminas monocristalinas de turbina de ponta e está em desenvolvimento há vários anos, mas os técnicos chineses têm lutado para colocá-lo em produção em massa.

No entanto, muitos dos problemas – que, em grande parte, estão relacionados ao superaquecimento das pás em velocidades máximas – foram resolvidos em testes de solo e voos de teste, colocando a meta de um produto consistentemente de alta qualidade à vista, disseram fontes ao South China Morning Post.

Pequim está disposta a ter uma aeronave furtiva capaz de competir com os melhores do mundo, à medida que as tensões aumentam na região da Ásia-Pacífico e com os Estados Unidos, aumentando a utilização de seus caças F-22 e F-35 na região.

“O WS-15 deverá estar pronto para instalação generalizada nos J-20 até o final deste ano”, disse uma das fontes.

Embora alguns “problemas menores” permanecem, estes devem ser resolvidos uma vez que o motor tenha sido mais “empregado extensivamente na aeronave”, disse a fonte.

O especialista militar de Pequim, Zhou Chenming, disse que a China espera que os EUA posicionem entre 200 e 300 F-35 – o mais avançado caça furtivo – na Ásia-Pacífico em 2025, o que significa que “a China precisa de um número similar de J-20s”, ou pelo menos 200”.

Doze F-35 chegaram à Base Aérea Kadena da Força Aérea dos EUA no Japão em novembro, enquanto a Coreia do Sul disse que planeja receber 40 dos caças.

Uma segunda fonte militar disse que os problemas com o motor WS-15 precisavam ser resolvidos antes que grandes números do J-20 pudessem ser fabricados.

“A China atualmente tem cerca de 20 caças J-20, o que está longe de ser suficiente”, disse a fonte. “Ter um motor caseiro é essencial para o J-20 entrar na produção em massa, já que nenhum outro país estaria disposto a dar à China uma tecnologia de ponta”.

As alegações das fontes acrescentam peso a uma reportagem de abril da emissora estatal China Central Television (CCTV), segundo o qual a Chengdu Aerospace Corporation, que fabrica o J-20, abriria uma quarta linha de produção para o caça furtivo em 2019.

No mês passado, a CCTV informou que a Força Aérea da China havia intensificado seu programa de treinamento para pilotos J-20.

O Exército de Libertação Popular disse que o J-20 entrou em serviço de combate em 9 de fevereiro e trabalhava ao lado de outras aeronaves de quarta geração, como os caças J-16 e J-10 e o bombardeiro estratégico H-6K. Em maio, participou de exercícios de cerco em torno de Taiwan.

O Post informou em fevereiro que o J-20 na época estava equipado com um motor “temporário”.

Uma das fontes militares disse que o público poderá vislumbrar pela primeira vez o novo caça furtivo, completo com seu motor aprimorado, na Exposição Internacional de Aviação e Aeroespacial da China no final do ano.

O evento, que acontece a cada dois anos, será realizado de 5 a 11 de novembro em Zhuhai, província de Guangdong, sul da China.

FONTE: South China Morning Post

Postar um comentário

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas