Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Pentágono nega que avião russo tenha 'expulsado' bombardeiro americano do Báltico

O Pentágono não concorda que o bombardeiro estratégico norte-americano B-52H tenha sido expulso por um caça russo Su-27 sobre o mar Báltico, comunicou à Sputnik o representante da entidade militar americana Eric Pahon.
Sputnik

"O avião da Força Aérea dos EUA B-52H realizava operações rotineiras no espaço aéreo internacional segundo o princípio da liberdade de navegação e de voo. Em 20 de março, o B-52H teve um encontro ordinário com um Su-27 russo que efetuava operações sobre o mar Báltico", esclareceu o porta-voz do Pentágono.

Pahon acrescentou que o Su-27 não expulsou o B-52H, que conseguiu completar a sua missão.

Na véspera, o Ministério da Defesa da Rússia publicou um vídeo de caças russos escoltando um bombardeiro estratégico americano Boeing B-52H sobre as águas neutras do mar Báltico. Segundo o comunicado, dois caças Su-27 levantaram voo para identificar e acompanhar a aeronave dos EUA.

De acordo com o Ministério, após o B-52H ter mudado de trajetória, distanciando-se da f…

Caças americanos interceptam bombardeiros russos na área do Alasca

Caças americanos F-22 levantaram voo pela segunda vez neste ano para interceptar bombardeiros estratégicos russos Tu-95 na área do Alasca, relatou a edição Washington Free Beacon.


Sputnik
Segundo o representante do Comando de Defesa Aeroespacial da América do Norte (NORAD, na sigla em inglês), Michael Kucharek, citado pela mídia, o incidente ocorreu no 1º de setembro.

Bombardeiro estratégico Tu-95
Bombardeiro russo Tupolev Tu-95 © Sputnik / Grachev

"Dois caças F-22 interceptaram e monitoraram dois bombardeiros Tu-95 da Rússia até que estes saíram da Zona de Identificação de Defesa Aérea do Alasca, ao longo da cadeia das ilhas Aleutas, rumo ao ocidente", afirmou o militar.

Porém, Kucharek sublinhou que os aviões russos não entraram no espaço aéreo dos EUA ou do Canadá.

A última vez que caças americanos haviam levantado voo para interceptar aviões russos foi em maio deste ano.

Comentando as notícias, o Ministério da Defesa russo afirmou que os Tu-95 realizaram voos de rotina sobre as águas neutras do oceano Ártico, mares de Okhotsk e de Bering, acrescentando que, em certas partes da rota, os aviões russos foram escoltados por dois caças F-22 dos EUA.

Segundo o comunicado do ministério russo, a aviação naval e de longo alcance realiza regularmente voos sobre as águas neutras dos oceanos Ártico, Atlântico, Pacífico e mar Negro. Todos os voos correspondem às regras internacionais e não violam as fronteiras de outros Estados.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas