Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Embraer e Boeing acertam termos de parceria

Acordo prevê criação de uma nova empresa de aviação comercial, com 80% de participação da gigante americana. Boeing vai pagar 4,2 bilhões de dólares aos brasileiros. Transação precisa ser aprovada pelo governo federal.
Deutsch Welle

A Embraer e a gigante americana Boeing anunciaram nesta segunda-feira (17/12) a aprovação dos termos de uma parceria para criar uma nova empresa de aviação comercial. A execução do acerto ainda precisa do aval do governo brasileiro.


De acordo com a proposta, a Boeing deterá 80% de participação na joint venture pelo valor de 4,2 bilhões de dólares, enquanto a fabricante brasileira ficará com os 20% restantes.

"A expectativa é de que a parceria não terá impacto no lucro por ação da Boeing em 2020, passando a ter impacto positivo nos anos seguintes", diz um comunicado conjunto da Embraer e da Boeing divulgado para investidores.

As duas empresas informaram que a joint venture criada para a fabricação de aviões comerciais, que deve absorver toda a operação…

Caças da OTAN voltam a sobrevoar Estônia

Os caças Eurofighter da Força Aérea da Alemanha, que realizam uma missão para proteger o espaço aéreo dos países bálticos e que foram transferidos para a base aérea de Amari, perto de Tallinn, realizarão novamente de 17 a 22 de setembro voos diários de treinamento sobre a Estônia a baixa altitude.


Sputnik

Os voos de treinamento foram retomados no início de setembro, depois que todos os voos no âmbito da missão de proteção do espaço aéreo sobre países bálticos foram interrompidos em decorrência de um incidente com o lançamento acidental de um míssil ar-ar pelo caça da Força Aérea Eurofighter no dia 7 de agosto. Até agora o míssil não foi encontrado.

Eurofighter Typhoon S da Força Aérea da Alemanha
CC BY 2.0 / Eurofighter Typhoon S Germany Air Force / https://www.flickr.com/people/14035760@N03

"Durante a semana de trabalho, os caças Eurofighter da Força Aérea da Alemanha realizarão voos de treinamento no espaço aéreo da Estônia. Os voos serão efetuados a uma altura de pelo menos 152 metros e longe dos assentamentos", informou o serviço de imprensa das Forças de Defesa da Estônia.

Em 30 de agosto, os pilotos da Força Aérea alemã e cinco caças Eurofighter mudaram o contingente da Força Aérea da França com quatro caças Mirage 2000-5, que protegiam o espaço aéreo dos países do Báltico desde 3 de maio. A unidade que chegou na Estônia inclui cerca de 160 militares. A base principal da esquadrilha alemã é Neuburgo, no estado de Baviera.

Os voos são conduzidos com base em acordos entre países da OTAN em áreas especialmente designadas. Essas zonas para voos em baixas altitudes são atribuídas por todos os governos dos países bálticos. Segundo os militares, os voos não contradizem as leis da Estônia e são coordenados com o departamento de aviação.

Os países do Báltico não possuem aviões adequados para patrulhamento aéreo. Por isso, desde abril de 2004 (depois da adesão à OTAN), a proteção do espaço aéreo é conduzida por aeronaves dos países da Aliança, no aeroporto de Zokniai na Lituânia, a cinco quilômetros de Siauliai, e também na base aérea de Amari. Na cúpula da OTAN em Chicago, em 2012, a missão foi prorrogada por um período indefinido.

Postar um comentário

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas