Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Poloneses pedem a Trump ajuda para conseguir indenização da Rússia e Alemanha pela 2ª Guerra

Um auto-proclamado "partido bíblico antiglobalista" pró-EUA e pró-Israel da Polônia, que se autodenomina "Movimento 11 de novembro", criou uma petição no site We the People da Casa Branca pedindo ao presidente Donald Trump ajude a obter "compensação adequada" da Rússia e da Alemanha por danos causados ​​na Segunda Guerra Mundial.
Sputnik

"Os poloneses livres estão apelando para os EUA, o vencedor na Segunda Guerra Mundial e o fiador dos acordos do pós-guerra, para obter ajuda na recuperação das reparações de guerra da Alemanha e da Rússia", diz a petição.


Além de alcançar a "justiça histórica", uma campanha de reparações bem-sucedida desempenharia "um papel fundamental na Polônia, tornando-se um forte aliado dos Estados Unidos diante da ameaça que surge na Europa e na Ásia — um novo Império do Mal".

Falando ao The New American, uma pequena revista de propriedade da John Birch Society, o co-autor e vice-presidente do Movimento 11…

Capitão russo explica por que Rússia está reforçando presença militar no Pacífico

O aumento da atividade da Frota do Pacífico russo está relacionado à necessidade de assegurar a proteção das fronteiras orientais, inclusive das ilhas Curilas, afirmou nesta terça-feira (4) à Sputnik Mikhail Nenashev, capitão da Marinha russa e dirigente do Movimento Russo de Apoio à Marinha.


Sputnik

Ele acrescentou que as ações da Rússia não representam qualquer ameaça para os países vizinhos.

Cruzador russo de mísseis guiados Varyag da Frota do Pacífico
Cruzador russo Varyag da Frota do Pacífico © Sputnik / Vitaliy Ankov

Anteriormente, o Ministério da Defesa do Japão havia comunicado que 28 navios da Frota do Pacífico russa passaram pelo estreito de La Pérouse, que separa a parte sul da ilha russa de Sacalina da parte norte da ilha japonesa de Hokkaido. As autoridades japonesas acreditam que este é o maior agrupamento de navios russos desde a época da Guerra Fria a realizar tal manobra.

Enquanto isso, os navios russos não empreenderam ações hostis nem tampouco violaram as águas territoriais do Japão.

"A passagem dos navios da Frota do Pacífico ao longo dos últimos 5 ou 7 anos é uma prática naval comum, os japoneses não precisam se surpreender, enquanto nós devemos reforçar ainda mais nossa presença na área, já que a situação no Pacífico o vai exigir nos próximos anos", assinalou Nenashev.

Enquanto isso, o analista frisou que a Rússia não planeja se expandir na região, tendo como meta principal reforçar sua segurança.

"A Frota do Pacífico lidera em número de embarcações que permanecem em prontidão de combate. Os comentários japoneses confirmam o que temos falado dentro do país: hoje em dia a frota deve estar no mar e não nos portos", frisou o capitão.

"Além disso, as Curilas são nosso território e a região das Curilas tem uma importância especial do ponto de vista da defesa", ressaltou o interlocutor da agência.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas