Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Marinha do Brasil simula resgate de civis em área de conflito ou desastre natural (VÍDEO)

A Marinha do Brasil realizou entre os dias 6 e 14 de novembro a Operação Atlântico, na praia de Itaoca, no Espírito Santo. A simulação deste ano treinou os oficiais para casos em que houvesse resgate de civis em uma área de conflito armado ou que foram alvos de desastres naturais.
Sputnik

Era por volta de 5h40 do dia 10 de novembro, um sábado, ainda estava amanhecendo, quando o Almirante Paulo Martinho Zucaro, Comandante da Força de Fuzileiros da Esquadra, olhou e disse para a reportagem da Sputnik Brasil: "É guerra".


A declaração foi dada para explicar os motivos de se realizar um treinamento deste porte mesmo em condições extremamente desfavoráveis. A chuva era forte, as ondas na beira da praia atingiam 1,5 metros e os ventos chegaram a 20 km/h. O nível de dificuldade preocupava o alto comando, mas não foi um problema para os fuzileiros e marinheiros.

Antes do amanhecer, sete Carros Lagarta Anfíbios (CLAnf) chegaram à praia e deram início ao desembarque. Após eles chegarem foi…

Capitão russo explica por que Rússia está reforçando presença militar no Pacífico

O aumento da atividade da Frota do Pacífico russo está relacionado à necessidade de assegurar a proteção das fronteiras orientais, inclusive das ilhas Curilas, afirmou nesta terça-feira (4) à Sputnik Mikhail Nenashev, capitão da Marinha russa e dirigente do Movimento Russo de Apoio à Marinha.


Sputnik

Ele acrescentou que as ações da Rússia não representam qualquer ameaça para os países vizinhos.

Cruzador russo de mísseis guiados Varyag da Frota do Pacífico
Cruzador russo Varyag da Frota do Pacífico © Sputnik / Vitaliy Ankov

Anteriormente, o Ministério da Defesa do Japão havia comunicado que 28 navios da Frota do Pacífico russa passaram pelo estreito de La Pérouse, que separa a parte sul da ilha russa de Sacalina da parte norte da ilha japonesa de Hokkaido. As autoridades japonesas acreditam que este é o maior agrupamento de navios russos desde a época da Guerra Fria a realizar tal manobra.

Enquanto isso, os navios russos não empreenderam ações hostis nem tampouco violaram as águas territoriais do Japão.

"A passagem dos navios da Frota do Pacífico ao longo dos últimos 5 ou 7 anos é uma prática naval comum, os japoneses não precisam se surpreender, enquanto nós devemos reforçar ainda mais nossa presença na área, já que a situação no Pacífico o vai exigir nos próximos anos", assinalou Nenashev.

Enquanto isso, o analista frisou que a Rússia não planeja se expandir na região, tendo como meta principal reforçar sua segurança.

"A Frota do Pacífico lidera em número de embarcações que permanecem em prontidão de combate. Os comentários japoneses confirmam o que temos falado dentro do país: hoje em dia a frota deve estar no mar e não nos portos", frisou o capitão.

"Além disso, as Curilas são nosso território e a região das Curilas tem uma importância especial do ponto de vista da defesa", ressaltou o interlocutor da agência.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas