Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Erdogan: Rússia e Turquia decidirão que grupos deixarão zona de Idlib

Rússia e Turquia irão determinar em conjunto quais grupos radicais deverão deixar o território da zona desmilitarizada de Idlib, na Síria, segundo afirmou o presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, neste domingo.
Sputnik

"Durante negociações sobre Idlib em Sochi, nós decidimos estabelecer uma zona desmilitarizada entre os territórios controlados pela oposição e pelo regime. A oposição permanecerá nos territórios que ela ocupa. Vamos garantir que os grupos radicais, designados em conjunto com a Rússia, não operem na região", disse Erdogan em artigo publicado pelo jornal russo Kommersant

Ainda de acordo com o líder turco, Washington segue atrapalhando o equilíbrio na região com seu apoio às Unidades de Proteção do Povo Curdo (YPG) e ao Partido da União Democrática (PYD) na Síria, considerados adversários de Ancara.

"Infelizmente, vemos que o apoio extraordinário que tem sido prestado recentemente, especialmente pelos Estados Unidos, às forças do YPG e do PYD, continua. Tais …

Capitão russo explica por que Rússia está reforçando presença militar no Pacífico

O aumento da atividade da Frota do Pacífico russo está relacionado à necessidade de assegurar a proteção das fronteiras orientais, inclusive das ilhas Curilas, afirmou nesta terça-feira (4) à Sputnik Mikhail Nenashev, capitão da Marinha russa e dirigente do Movimento Russo de Apoio à Marinha.


Sputnik

Ele acrescentou que as ações da Rússia não representam qualquer ameaça para os países vizinhos.

Cruzador russo de mísseis guiados Varyag da Frota do Pacífico
Cruzador russo Varyag da Frota do Pacífico © Sputnik / Vitaliy Ankov

Anteriormente, o Ministério da Defesa do Japão havia comunicado que 28 navios da Frota do Pacífico russa passaram pelo estreito de La Pérouse, que separa a parte sul da ilha russa de Sacalina da parte norte da ilha japonesa de Hokkaido. As autoridades japonesas acreditam que este é o maior agrupamento de navios russos desde a época da Guerra Fria a realizar tal manobra.

Enquanto isso, os navios russos não empreenderam ações hostis nem tampouco violaram as águas territoriais do Japão.

"A passagem dos navios da Frota do Pacífico ao longo dos últimos 5 ou 7 anos é uma prática naval comum, os japoneses não precisam se surpreender, enquanto nós devemos reforçar ainda mais nossa presença na área, já que a situação no Pacífico o vai exigir nos próximos anos", assinalou Nenashev.

Enquanto isso, o analista frisou que a Rússia não planeja se expandir na região, tendo como meta principal reforçar sua segurança.

"A Frota do Pacífico lidera em número de embarcações que permanecem em prontidão de combate. Os comentários japoneses confirmam o que temos falado dentro do país: hoje em dia a frota deve estar no mar e não nos portos", frisou o capitão.

"Além disso, as Curilas são nosso território e a região das Curilas tem uma importância especial do ponto de vista da defesa", ressaltou o interlocutor da agência.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas