Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Militares juntam-se à polícia em protesto dos "coletes amarelos". Há 31 detidos

Os militares da operação antiterrorista "Sentinela" foram mobilizados para proteger as principais instituições francesas. Ao final da manhã, os coletes amarelos eram ainda em pequeno número na capital e quase invisíveis entre a população.
Diário de Notícias

As forças armadas francesas juntaram-se à polícia, este sábado, em Paris, para enfrentar o 19º fim de semana consecutivo de protestos dos coletes amarelos contra o governo do presidente Emmanuel Macron. Ao final da manhã, com os locais habituais de manifestação interditos e o reforço militar junto às principais instituições francesas, os "coletes amarelos" passavam quase despercebidos entre turistas e parisienses.

Segundo a Reuters, o governo francês decidiu mobilizar os militares da operação antiterrorista "Sentinela", depois de ter proibido os manifestantes de se reunirem nos Campos Elísios, onde no último fim de semana dezenas de lojas foram destruídas e algumas completamente pilhadas.

Além da presença …

Comandante do Exército vê 'desafio' à democracia em atentado contra Bolsonaro

Presidenciável, que é deputado e capitão da reserva, foi atingido por facada em ato de campanha em Juiz de Fora. Comandante do Exército disse repudiar 'veementemente' o ato de 'extrema violência'.


Por G1, Brasília

O comandante do Exército, general Eduardo Villas Bôas, afirmou em nota na noite desta quinta-feira (6) que repudia o atentado contra o presidenciável Jair Bolsonaro (PSL) e defende a "manutenção da serenidade" e o "combate aos radicalismos" contra o que classificou como "desafio" à democracia.

O comandante do Exército, general Eduardo Dias da Costa Villas Bôas (Foto: Geraldo Magela/Agência Senado)
O comandante do Exército, general Eduardo Dias da Costa Villas Bôas (Foto: Geraldo Magela/Agência Senado)

Nesta quinta, Bolsonaro, deputado federal e capitão da reserva do Exército, foi atingido por uma facada durante atividade de campanha eleitoral em Juiz de Fora (MG). Levado para um hospital, ele sofreu uma cirurgia e ficará pelo menos uma semana internado.

Na nota, Villas Bôas "repudia veementemente o ato de violência extrema perpetrado contra a vida do Deputado Bolsonaro" e pede "confiança nos órgãos de segurança pública, para que todos juntos ultrapassemos esse desafio à nossa democracia e à paz social".

Na tarde desta quinta, o alto comando do Exército fez uma reunião por videoconferência na qual, segundo apurou a TV Globo, foi discutido o atentado contra Bolsonaro.

Composto por generais, o alto-comando é um conselho permanente que assessora o comandante do Exército – o atual comandante é o general Eduardo Villas Bôas.

Segundo a assessoria do Exército, a reunião foi realizada por videoconferência e já estava prevista para ser realizada nesta quinta.

Íntegra da nota


Leia abaixo a íntegra da nota

NOTA DE ESCLARECIMENTO - ATENTADO CONTRA O DEPUTADO FEDERAL JAIR BOLSONARO - 06 SET 18

Com relação ao atentado contra o Deputado Federal Jair Bolsonaro, ocorrido na tarde de hoje, na cidade de Juiz de Fora - MG, o Comandante do Exército, General de Exército Eduardo Dias da Costa Villas Bôas, informa que:

1. Repudia veementemente o ato de violência extrema perpetrado contra a vida do Deputado Bolsonaro, candidato à Presidência da República;

2. Defende a manutenção da serenidade, o combate aos radicalismos e a confiança nos órgãos de segurança pública, para que todos juntos ultrapassemos esse desafio à nossa democracia e à paz social; e

3. Solidariza-se com a família do Deputado neste momento de apreensão, desejando pronta recuperação.

Brasília - DF, 06 de setembro de 2018.

Atenciosamente,
CENTRO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL DO EXÉRCITO
EXÉRCITO BRASILEIRO - BRAÇO FORTE, MÃO AMIGA

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas