Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Embraer e Boeing acertam termos de parceria

Acordo prevê criação de uma nova empresa de aviação comercial, com 80% de participação da gigante americana. Boeing vai pagar 4,2 bilhões de dólares aos brasileiros. Transação precisa ser aprovada pelo governo federal.
Deutsch Welle

A Embraer e a gigante americana Boeing anunciaram nesta segunda-feira (17/12) a aprovação dos termos de uma parceria para criar uma nova empresa de aviação comercial. A execução do acerto ainda precisa do aval do governo brasileiro.


De acordo com a proposta, a Boeing deterá 80% de participação na joint venture pelo valor de 4,2 bilhões de dólares, enquanto a fabricante brasileira ficará com os 20% restantes.

"A expectativa é de que a parceria não terá impacto no lucro por ação da Boeing em 2020, passando a ter impacto positivo nos anos seguintes", diz um comunicado conjunto da Embraer e da Boeing divulgado para investidores.

As duas empresas informaram que a joint venture criada para a fabricação de aviões comerciais, que deve absorver toda a operação…

Como armas da Segunda Guerra Mundial se enfrentam na Síria

Durante a guerra na Síria, o Exército sírio e seus adversários têm usado armas diferentes, tanto novas, como bastante antigas. Algumas deles vêm da época da Segunda Guerra Mundial.


Sputnik

A guerra na Síria tem durado tanto tempo que, para poder continuar combatendo, ambos os lados às vezes recorrem a velhas e até lendárias armas, informou a edição Rossiyskaya Gazeta.


Fuzil de ação de culatra Mosin-Nagant, usado pelo Exército Imperial russo desde 1891
Fuzil de ação de culatra Mosin-Nagant, usado pelo Exército Imperial russo desde 1891 © SPUTNIK / VLADIMIR PESNIA

Uma dessas armas é o famoso fuzil de ação de culatra Mosin-Nagant, que entrou no serviço das Forças Imperiais russas em 1891. Uma foto publicada no Twitter mostra um soldado sírio com o fuzil destes, famoso por sua precisão, muito considerável para a época.

Essa arma foi fabricada em massa até os anos 50 do século XX. O alcance do fuzil atinge 1.300 metros e sua velocidade média de tiro é de 14 tiros por minuto. O carregador aloja cinco projéteis e seu peso é de 4,5 quilogramas, enquanto sua mira telescópica pesa apenas 300 gramas.

Na guerra síria essa arma ganhou fama por ser segura e fácil de usar.

A oposição armada, por sua vez, tem utilizado o fuzil de assalto alemão Sturmgewehr 44, segundo fotos publicadas em redes sociais. Essa arma foi desenvolvida na Alemanha nazista e foi utilizada durante a Segunda Guerra Mundial. Considera-se como o progenitor dos modernos fuzis de assalto. 

STG-44. Síria 2014 | Reprodução

Entre os anos 40 e 60 do século passado, as Forças Armadas da Síria tinham fuzis Sturmgewehr 44 em seu arsenal. Com o início da guerra civil, alguns exemplares deste fuzil armazenados nos arsenais do exército sírio foram capturados pelos terroristas e oposição armada.

Postar um comentário

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas