Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Por que alguns países ocidentais não querem libertação de Idlib?

A libertação de Idlib marcará a vitória total das forças governamentais e o fracasso dos planos de países ocidentais de derrubar as autoridades legítimas sírias.
Sputnik

No entanto, segundo Pierre Le Corf, ativista francês que vive em Aleppo, a tarefa não será fácil. 


"Será muito difícil libertar Idlib, porque todas as forças da coalizão lideradas pelos EUA e governos [ocidentais] envolvidos na guerra até o momento se opõem à libertação da província", disse Le Corf à Sputnik França.

Ele comentou que assim que a província síria de Idlib for libertada, terá que "libertar as zonas ocupadas ilegalmente pelos EUA, França e até pela Itália no norte do país". Por esse motivo, nenhum desses países quer a libertação da província.

Le Corf salientou que a intenção de manter o status atual poderia levar a "um massacre da população civil de Idlib", referindo-se às múltiplas advertências dos militares sírios e russos sobre a possível encenação de ataques químicos com o prop…

Confrontos entre tropas israelenses e manifestantes palestinos resultam em mortes de civis

Um palestino foi morto nesta sexta-feira em confrontos com tropas israelenses nas proximidades da fronteira com a Faixa de Gaza, disse o porta-voz do Ministério da Saúde de Gaza, Ashraf Qidra, à Sputnik.


Sputnik

"Um palestino de cerca de 20 anos de idade foi morto e outros 41 sofreram vários ferimentos em confrontos com o exército israelense na proximidade das fronteiras orientais da Faixa de Gaza", disse o porta-voz.

Manifestantes palestinos correm para se proteger de bombas de gás lacrimogêneo disparadas por soldados israelenses durante confrontos em Gaza (arquivo)
© AP Photo / Adel Hana

De acordo com o exército israelense, mais de 10 mil pessoas participaram dos protestos de sexta-feira, queimando pneus, atirando pedras e coquetéis molotov contra soldados israelenses e tentando romper a fronteira. Em resposta, o exército israelense recorreu a veículos especiais, armas e ataques aéreos na parte norte da Faixa de Gaza.

O exército israelense acrescentou que um soldado foi ferido e hospitalizado.

As tensões entre os israelenses e os palestinos na fronteira de Gaza aumentaram desde o final de março. Os recentes distúrbios na fronteira entre Israel e Gaza foram provocados ​por bombardeios contínuos e pelo lançamento de balões incendiários por militantes do Hamas em territórios israelenses.

Os confrontos já deixaram mais de 170 palestinos mortos e cerca de 18 mil feridos.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas