Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Pentágono nega que avião russo tenha 'expulsado' bombardeiro americano do Báltico

O Pentágono não concorda que o bombardeiro estratégico norte-americano B-52H tenha sido expulso por um caça russo Su-27 sobre o mar Báltico, comunicou à Sputnik o representante da entidade militar americana Eric Pahon.
Sputnik

"O avião da Força Aérea dos EUA B-52H realizava operações rotineiras no espaço aéreo internacional segundo o princípio da liberdade de navegação e de voo. Em 20 de março, o B-52H teve um encontro ordinário com um Su-27 russo que efetuava operações sobre o mar Báltico", esclareceu o porta-voz do Pentágono.

Pahon acrescentou que o Su-27 não expulsou o B-52H, que conseguiu completar a sua missão.

Na véspera, o Ministério da Defesa da Rússia publicou um vídeo de caças russos escoltando um bombardeiro estratégico americano Boeing B-52H sobre as águas neutras do mar Báltico. Segundo o comunicado, dois caças Su-27 levantaram voo para identificar e acompanhar a aeronave dos EUA.

De acordo com o Ministério, após o B-52H ter mudado de trajetória, distanciando-se da f…

Divulgados supostos VÍDEOS de ataque de Israel contra Síria

Na Internet circulam vídeos mostrando o lançamento de supostos mísseis da Força Aérea de Israel contra a província síria de Hama.


Sputnik

Os vídeos, publicados no Facebook, foram divulgados pelo portal de notícias sírio Orient News.

Caça da Força Aérea de Israel (arquivo)
F-16 israelense © Sputnik / Serviço de imprensa da Força Aérea de Israel

Em um dos vídeos aparece a trajetória de um míssil no ar e outro mostra as consequências da explosão causada pelo projétil na encosta de uma montanha perto de uma vila.

Anteriormente, a agência SANA informou que o sistema de defesa antiaérea da Síria repeliu um ataque da Força Aérea israelense na região de Wadi al-Uyun, nas proximidades de Hama, abatendo cinco mísseis. Segundo a fonte militar da publicação, foram atacadas instalações militares em Tartus e Hama. Conforme relatado pelos médicos, uma pessoa foi morta e quatro ficaram feridas.

O ataque com mísseis foi condenado em ambas as câmaras do parlamento russo.

Aleksei Chepa, vice-presidente do Comitê de Relações Exteriores da Duma de Estado (câmara baixa do parlamento russo), disse à Sputnik que a Rússia deve exigir a todos os níveis que Israel pare de bombardear a Síria.

"Isso é inaceitável, é necessário impor, a todos os níveis, as exigências mais rigorosas de que todos os ataques às tropas regulares do governo sírio sejam interrompidos", disse Chepa.

O político enfatizou que a interferência externa dificulta a luta contra o terrorismo.

"Todos os ataques de hoje contra o exército sírio estão beneficiando os terroristas", concluiu.

Por sua vez, o chefe do Comitê Internacional do Conselho da Federação (câmara alta do parlamento russo) lembrou que qualquer ataque militar contra o território de outro país, além de situações de autodefesa ou sancionado pelo Conselho de Segurança da ONU, é contrário ao direito internacional.

Ao mesmo tempo, ele acrescentou que os especialistas militares deveriam avaliar a natureza do ataque e suas consequências.

Israel tem atacado repetidamente alvos na Síria. Um dos últimos casos aconteceu em 2 de agosto, quando os militares israelenses atacaram "vários" terroristas armados na região fronteiriça da Síria. O incidente ocorreu no sul da parte das colinas de Golã controladas pelos sírios, onde a organização terrorista Daesh (proibida na Rússia e em vários outros países) operava anteriormente.

Síria e Israel estão formalmente em guerra desde 1973, mas os confrontos armados eram extremamente raros antes do início da guerra civil na Síria.

Veja o vídeo aqui

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas