Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Militares juntam-se à polícia em protesto dos "coletes amarelos". Há 31 detidos

Os militares da operação antiterrorista "Sentinela" foram mobilizados para proteger as principais instituições francesas. Ao final da manhã, os coletes amarelos eram ainda em pequeno número na capital e quase invisíveis entre a população.
Diário de Notícias

As forças armadas francesas juntaram-se à polícia, este sábado, em Paris, para enfrentar o 19º fim de semana consecutivo de protestos dos coletes amarelos contra o governo do presidente Emmanuel Macron. Ao final da manhã, com os locais habituais de manifestação interditos e o reforço militar junto às principais instituições francesas, os "coletes amarelos" passavam quase despercebidos entre turistas e parisienses.

Segundo a Reuters, o governo francês decidiu mobilizar os militares da operação antiterrorista "Sentinela", depois de ter proibido os manifestantes de se reunirem nos Campos Elísios, onde no último fim de semana dezenas de lojas foram destruídas e algumas completamente pilhadas.

Além da presença …

Especialista comenta suposto ataque de Israel contra Síria

Recentemente foram publicados vídeos de mísseis supostamente lançados pela Força Aérea de Israel tendo como alvo a província síria de Hama.


Sputnik

O especialista Vladimir Fitin, em entrevista ao serviço russo da Rádio Sputnik, comentou o ocorrido

Militar do exército sírio na província de Hama, Síria (foto de arquivo)
Militar sírio em Hama, Síria © Sputnik / Khaled Alkhateb

"Não há nada de novo, é a habitual política de Israel em relação à situação na Síria. Israel continua exigindo categoricamente a ausência [na Síria] de quaisquer militares e qualquer infraestrutura militar do Irã. Portanto, em meu entendimento, se as Forças Armadas israelenses descobrem essas infraestruturas, realizam algumas ações militares para destruí-las", explicou.

Fitin acrescentou que as Forças Armadas israelenses declararam muitas vezes que não permitirão a implantação de instalações militares iranianas, que alegadamente podem estar ameaçando Israel no território da Síria.

"Na maioria das vezes, os militares israelenses não confirmam que foram eles que atacaram alvos na Síria, mas está claro que não há outra possibilidade", concluiu Fitin.

Anteriormente, Israel atingiu repetidamente alvos na Síria. Os dois países estão formalmente em guerra desde 1973, mas os confrontos eram extremamente raros antes do início da guerra civil na Síria.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas