Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Militares juntam-se à polícia em protesto dos "coletes amarelos". Há 31 detidos

Os militares da operação antiterrorista "Sentinela" foram mobilizados para proteger as principais instituições francesas. Ao final da manhã, os coletes amarelos eram ainda em pequeno número na capital e quase invisíveis entre a população.
Diário de Notícias

As forças armadas francesas juntaram-se à polícia, este sábado, em Paris, para enfrentar o 19º fim de semana consecutivo de protestos dos coletes amarelos contra o governo do presidente Emmanuel Macron. Ao final da manhã, com os locais habituais de manifestação interditos e o reforço militar junto às principais instituições francesas, os "coletes amarelos" passavam quase despercebidos entre turistas e parisienses.

Segundo a Reuters, o governo francês decidiu mobilizar os militares da operação antiterrorista "Sentinela", depois de ter proibido os manifestantes de se reunirem nos Campos Elísios, onde no último fim de semana dezenas de lojas foram destruídas e algumas completamente pilhadas.

Além da presença …

EUA e aliados ameaçam ataque 'muito mais forte' caso Síria use armas químicas

EUA, Reino Unido e França alertaram que qualquer uso de armas químicas por parte do governo da Síria resultaria em uma resposta maior do que a de incidentes anteriores, afirmou o conselheiro de Segurança Nacional dos EUA, John Bolton, nesta segunda-feira (10), em Washington.


Sputnik

"Nós tentamos transmitir a mensagem nos últimos dias de que se houver um terceiro uso de armas químicas a resposta será muito mais forte", disse Bolton. "Eu posso afirmar que estamos realizando consultas com os britânicos e com os franceses, que se juntaram ao segundo ataque, e ele também concordam que um próximo uso de armas químicas resultará em uma resposta muito mais forte", continuou.

Resultado de imagem para John Bolton
John Bolton | Reprodução

Bolton também considerou ultrajante a alegação de que os EUA estão dando autorização para a al-Qaeda para usar armas químicas para culpar o governo da Síria.

O Ministro da Defesa da Rússia disse no final de agosto que os terroristas do grupo Tharir al-Sham, antes conhecido como Jabbhat Fatah al Sham e banido da Rússia, estaria preparando um ataque falso em Idlib, na Síria, com o objetivo de acusar o governo sírio de usar armas químicas.

O governo sírio de Bashar Assad recuperou o controle sobre vastas áreas do território do país ao longo da guerra civil que consumiu o país nos últimos anos, no entanto, a região de Idlib continua sendo considerada uma fortaleza de insurgentes.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas