Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Executiva da Huawei deixa a prisão após pagar fiança no Canadá; ex-diplomata canadense é preso na China

Justiça aceitou pedido da chinesa, que foi detida a pedido dos Estados Unidos e corria risco de extradição. Fiança estipulada fixada em US$ 7,5 milhões.
Por G1

A diretora financeira da Huawei, Meng Wanzhou, foi solta nesta quarta-feira (12) depois de passar 11 dias presa no Canadá.

A executiva teve aceito o pedido de liberdade condicional, por um juiz canadense. O valor da fiança foi fixado em 10 milhões de dólares canadenses (US$ 7,5 milhões).

Meng saiu da prisão poucas horas depois da ordem do juiz, informou o canal Global News.

"O risco de que não se apresente perante o tribunal (para uma audiência de extradição) pode ser reduzido a um nível aceitável, impondo as condições de fiança propostas por seu assessor", disse o juiz, aplaudido na sala do tribunal pelos partidários da empresa chinesa, informa a France Presse.

As condições de libertação incluem a entrega de seus dois passaportes, que permaneça em uma de suas residências de Vancouver e use tornozeleira eletrônica. Além dis…

Exército israelense diz que apresentou à Rússia dados 'exaustivos' sobre abate do Il-20

Na sequência das declarações feitas nesta manhã (23) pelo Ministério da Defesa da Rússia, o exército israelense se apressou a tornar pública uma nota à imprensa dizendo que a Força Aérea de Israel não tinha "se escondido" por trás do Il-20 da Força Aeroespacial da Rússia durante sua operação na Síria.


Sputnik

Aliás, o comunicado afirma que o mecanismo para evitar conflitos foi ativado em momento oportuno, como tem sido feito durante os últimos dois anos e meio, em concordância com os acordos bilaterais.

Caça F-15 da Força Aérea de Israel
F-16 Fighting Falcon israelense © AP Photo / JACK GUEZ

Tel Aviv reiterou também que no momento em que o Il-20 foi abatido por um míssil antiaéreo sírio, os caças israelenses já se encontravam no "espaço aéreo deles".

A nota sublinha, entre outras coisas, que a segurança e o bem-estar dos militares russos que atuam na Síria é um "componente central" para Israel quando este efetua o planejamento de qualquer operação na área.

"As Forças de Defesa de Israel vão continuar empreendendo todas as medidas para alcançar esse objetivo, tal como tem sido até o presente", diz o documento, se referindo à abordagem do exército em relação à segurança dos efetivos russos.

Reiterando seu "não envolvimento" no abate do Il-20, o exército israelense voltou a expressar condolências ao povo russo e às famílias dos militares mortos.

Além do mais, Israel assegurou que continuará suas atividades militares na Síria a despeito do recente incidente.

"As Forças de Defesa de Israel continuarão atuando em concordância com as ordens do governo do país, contra as tentativas constantes dos iranianos de fixarem sua presença militar na Síria e equiparem a organização terrorista Hezbollah com armamentos letais e de precisão", diz a nota.

Postar um comentário

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas