Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Marinha do Brasil abre processo administrativo para apurar vídeo de militares dançando 'Jenifer' em navio

Em nota, a Marinha informou que e 'foi constatado comportamento completamente incompatível com as tradições' e que irá apurar o ocorrido.
Por G1 Rio

A Marinha do Brasil instaurou um processo administrativo para apurar um vídeo em que um grupo de militares aparece dançando a música "Jenifer" em um navio oficial.


A embarcação, segundo a Marinha, é o Aviso de Instrução Guarda-Marinha Brito, que fica sediado no Rio de Janeiro. A gravação foi feita durante o estágio de mar de militares.

Em nota, a Marinha informou que "foi constatado comportamento completamente incompatível com as tradições da Marinha" e que, para ampliar a apuração do ocorrido, foi instaurado um procedimento administrativo "cuja conclusão, certamente, conterá as propostas pertinentes às necessárias correções no inaceitável comportamento".

Assista o vídeo

F-35: piloto de caça turco realiza primeiro voo nos EUA

Um piloto de caça turco realizou o primeiro voo nos Estados Unidos com um dos novos jatos F-35 da Turquia em 28 de agosto, informaram as Forças Armadas da Turquia em um comunicado divulgado no mesmo dia.


Poder Aéreo

No início de julho, o Pentágono informou que pilotos e pessoal de manutenção da Turquia estavam sendo treinados no jato de combate F-35, no estado do Arizona.


No final de junho, a Turquia recebeu seu primeiro jato de combate F-35 em uma cerimônia em Forth Worth, no Texas.

A Turquia e os EUA estiveram recentemente debatendo a compra de sistemas de mísseis russos S-400 e a detenção do pastor americano Andrew Brunson.

A administração Trump decidiu adiar a entrega do avião de combate à Turquia, citando o caso do pastor e depois a compra dos mísseis russos.

No início de agosto, o presidente dos EUA, Donald Trump, aprovou uma lei orçamentária de defesa que adiava a entrega de jatos F-35 Joint Strike Fighter à Turquia. Uma emenda à Lei de Autorização de Defesa Nacional (NDAA), rapidamente aprovada pelo Congresso, proíbe as vendas do F-35 para a Turquia até que o Pentágono emita um relatório sobre as relações turco-americanas em 90 dias.

Ainda assim, o Escritório do Programa Conjunto F-35 anunciou em 16 de agosto que continuaria a executar os planos atuais do programa com todos os parceiros, incluindo a Turquia, e a obedecer a quaisquer diretrizes políticas futuras.

A Turquia está no programa F-35 desde 1999, e a indústria de defesa turca assumiu um papel ativo na produção de aeronaves e investiu US$ 1,25 bilhão no desenvolvimento da aeronave. A Alp Aviation, a AYESAŞ, a Kale Aviation, a Kale Pratt & Whitney e a Turkish Aerospace Industries (TAI) produzem peças para o caça F-35. A AYESAŞ também é o único fornecedor de dois componentes principais do avião.

A Turquia planeja comprar 100 caças F-35 nos próximos anos. Das 100 aeronaves, 30 foram aprovadas. O país recebeu seu primeiro jato de combate F-35 em uma cerimônia em Fort Worth, Texas, no dia 21 de junho. O primeiro F-35 entregue também é o primeiro jato de caça de quinta geração a entrar no inventário do Comando da Força Aérea Turca.

FONTE: Daily Sabah

Postar um comentário

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas