Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Por que alguns países ocidentais não querem libertação de Idlib?

A libertação de Idlib marcará a vitória total das forças governamentais e o fracasso dos planos de países ocidentais de derrubar as autoridades legítimas sírias.
Sputnik

No entanto, segundo Pierre Le Corf, ativista francês que vive em Aleppo, a tarefa não será fácil. 


"Será muito difícil libertar Idlib, porque todas as forças da coalizão lideradas pelos EUA e governos [ocidentais] envolvidos na guerra até o momento se opõem à libertação da província", disse Le Corf à Sputnik França.

Ele comentou que assim que a província síria de Idlib for libertada, terá que "libertar as zonas ocupadas ilegalmente pelos EUA, França e até pela Itália no norte do país". Por esse motivo, nenhum desses países quer a libertação da província.

Le Corf salientou que a intenção de manter o status atual poderia levar a "um massacre da população civil de Idlib", referindo-se às múltiplas advertências dos militares sírios e russos sobre a possível encenação de ataques químicos com o prop…

França recebe novos aviões de treinamento para futuros pilotos de caça

A Direção Geral do Armamento (DGA) da França prepara-se para transferir a primeira aeronave de treinamento para a futura escola de pilotos de combate localizada em Cognac.


Poder Aéreo

Os primeiros dois turboélices Pilatus PC-21, que substituirão os Dassault Alpha Jet e Aérospatiale Epsilon TB30, usados ​​para treinar pilotos de caça franceses desde a década de 1970, aterrissaram na base aérea de Cognac em 30 de agosto de 2018 para controles de pré-entrega.

Um treinador turboélice Pilatus PC-21, ainda carregando seu registro civil suíço, é escoltado por um caça Rafale a caminho de Cognac, no oeste da França, onde vai equipar a nova escola de pilotos de combate da Força Aérea Francesa
Um treinador turboélice Pilatus PC-21, ainda carregando seu registro civil suíço, é escoltado por um caça Rafale a caminho de Cognac, no oeste da França, onde vai equipar a nova escola de pilotos de combate da Força Aérea Francesa

Este é um passo importante na implementação do novo plano da Força Aérea Francesa (Armée de l´air) para modernizar o plano de treinamento de seus tripulantes, que visa renovar tanto o equipamento quanto os métodos de treinamento usados ​​para treinar pilotos, navegadores e oficiais de sistemas de armas.

As novas aeronaves estão sendo entregues sob um contrato adjudicado pela DGA à Babcock Mission Critical Services France em dezembro de 2016. Trata-se de um contrato de serviço que cobre o fornecimento e suporte, por um período de oito anos, de uma frota de aeronaves de treinamento turboélice 17 Pilatus PC-21, equipamentos de simulação em solo (2 simuladores de missões completas e 3 treinadores), ferramentas de preparação e recuperação de missão, bem como infra-estrutura associada.

As horas de voo anuais esperadas são da ordem de 11.500 horas de voo. O equipamento passará a ser propriedade do Ministério das Forças Armadas em 2022. Todo o equipamento será entregue no início de 2019 para garantir o treinamento da primeira turma no verão de 2019.

FONTE: Ministério das Forças Armadas da França

Postar um comentário

Postagens mais visitadas