Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Militares juntam-se à polícia em protesto dos "coletes amarelos". Há 31 detidos

Os militares da operação antiterrorista "Sentinela" foram mobilizados para proteger as principais instituições francesas. Ao final da manhã, os coletes amarelos eram ainda em pequeno número na capital e quase invisíveis entre a população.
Diário de Notícias

As forças armadas francesas juntaram-se à polícia, este sábado, em Paris, para enfrentar o 19º fim de semana consecutivo de protestos dos coletes amarelos contra o governo do presidente Emmanuel Macron. Ao final da manhã, com os locais habituais de manifestação interditos e o reforço militar junto às principais instituições francesas, os "coletes amarelos" passavam quase despercebidos entre turistas e parisienses.

Segundo a Reuters, o governo francês decidiu mobilizar os militares da operação antiterrorista "Sentinela", depois de ter proibido os manifestantes de se reunirem nos Campos Elísios, onde no último fim de semana dezenas de lojas foram destruídas e algumas completamente pilhadas.

Além da presença …

Grécia e EUA discutem possibilidades de instalação de armamentos na região do mar Egeu

A Grécia e os EUA estão discutindo a implantação de caças F-22 Raptor e sistemas de mísseis Patriot em uma nova base militar a ser instalada na ilha de Cárpatos, situada entre Rodes e Creta, no mar Egeu, segundo mídia.


Sputnik

O comandante supremo aliado na Europa (SACEUR) do Comando Aliado da OTAN, Curtis Scaparotti, que dirige as conversações, disse que estas estão avançadas e que o tema de Cárpatos estará na agenda da próxima visita do ministro da Defesa grego, Panos Kammenos, a Washington, onde se deverá reunir com o secretário de Defesa americano, James Mattis. Além disso, os militares americanos estão intensificando sua presença na Grécia, segundo o canal ANT1.

Militares norte-americanos perto do sistema de defesa antimíssil Patriot
Militares dos EUA diante de sistema de mísseis Patriot © AP Photo/ Mindaugas Kulbis

Em agosto passado, os EUA renovaram seu acordo com a Grécia para substituir os drones MQ-9 Reaper localizados na base aérea de Larissa, na região de Tessália, por drones modernizados para realizar voos de reconhecimento sobre o mar Egeu, entre outras missões. Além disso, na base naval de Souda, em Creta, estão posicionados caças F-15 americanos e no aeródromo de Araxos, próximo de Patras, no Peloponeso, encontram-se armamentos americanos. Prevê-se ainda instalar caças F-35 no aeródromo de Nea Anchialos, próximo de Vólos e aeronaves F-16 na base aérea de Andravida, na região de Élida.

Há fatores geopolíticos e geográficos que fazem da Grécia um local atraente para o Exército americano, segundo o general Joseph Dunford, afirmando que "a geografia da Grécia e as oportunidades no território grego são muito significativas".

Os militares americanos seguem conversando sobre a expansão de suas operações na Grécia, incluindo a utilização de um maior número de bases aéreas e navais, devido às tensões entre Washington e Ancara. Estas tensões se intensificaram desde que o presidente Donald Trump decretou recentemente o aumento das tarifas sobre o ferro e alumínio importados da Turquia, após a Turquia recusar soltar o pastor americano Andrew Brunson, acusado por Ancara de participar do fracassado golpe militar em 2016.

Para além disso, Ancara pretende comprar os sistemas de mísseis russos S-400, ignorando os alertas e sanções de Washington, segundo o jornal The Wall Street.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas