Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Defesa russa: avião Il-20 foi derrubado por mísseis sírios S-200

De acordo com o ministério russo, o sistema de defesa aérea sírio tentava atacar um avião de Israel. No entanto, a tripulação israelense fez uma manobra especial para se proteger, e o míssil acabou atingindo acidentalmente o avião russo Il-20.
Sputnik

O avião Il-20 desapareceu dos radares em 17 de setembro, por volta das 23h do horário de Moscou, (17h em Brasília) durante o retorno planejado à base aérea de Hmeymim, acima do território do mar Mediterrâneo, a 35 quilômetros da costa da Síria, informou o comunicado do Ministério da Defesa da Rússia. O represente oficial da Defesa russa, Igor Konashenkov sublinhou que os aviões israelenses "propositalmente criaram uma situação perigosa para navios e aviões nessa região".

Na opinião dele, para evitar o ataque sírio, a tripulação israelense acabou tornando o Ilyushin-20 alvo de ataque.

"Ao tentarem proteger-se com ajuda do avião russo, os pilotos israelenses o puseram debaixo de fogo do sistema de defesa antiaérea da Síria"…

Imprensa dos EUA chama 'radares voadores' russos A-50U de 'perigo mortal'

A Força Aeroespacial da Rússia receberá em serviço mais dois aviões de sistema aéreo de alerta e controle A-50U (AWACS). Estes veículos proporcionam informações valiosas à aviação militar. Os "radares voadores" são capazes de detectar alvos aéreos a até 650 km.


Sputnik

A primeira aeronave A-50U foi entregue às Forças Armadas da Rússia em 2011. Desde então, esses aviões têm sido usados ativamente pelas forças russas, inclusive durante operações antiterroristas na Síria.

A-50 – aeronave do Sistema Aéreo de Alerta e Controle (AWACS) da Rússia
Beriev A-50 © Alex Beltyukov / Wikipedia

"Os radares voadores", pelo visto, vigiaram as ações da Força Aérea dos países ocidentais que operavam no espaço aéreo sírio, escreveu o portal Military Watch.

Podendo coordenar até dez aviões militares simultaneamente em missões aéreas, os aviões russos de AWACS representam um perigo mortal agindo com veículos aéreos que portam mísseis R-33/37 e mísseis de cruzeiro Kh-35, de acordo com a edição.

Devido a uma maior distância de detecção e capacidades de vigiar alvos aéreos, os "radares voadores" russos podem apontar mísseis contra alvos localizados a até 400 quilômetros, acrescentaram os autores da matéria.

Hoje na Rússia estão sendo elaborados novos "radares voadores" A-100. Este avião é dotado de um novo sistema de radar polivalente e de motores mais potentes. Prevê-se que os A-100 sejam adotados em serviço em 2020, junto com os novos caças russos Su-57 e MiG-35.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas