Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Irã ameaça romper limite de reservas de urânio; entenda o que país pode fazer se sair de acordo nuclear

Sem regulação, país pode adotar equipamentos mais modernos e rápidos e ampliar volume de enriquecimento de material que pode ser usado em armas nucleares. Acordo foi firmado em 2015 entre Irã e mais seis países, mas Trump retirou EUA em maio de 2018.
Associated Press

O Irã anunciou que irá exceder o limite de reservas de urânio determinado pelo acordo nuclear de 2015, ampliando as tensões no Oriente Médio.

O prazo de 27 de junho dado por Teerã vem antes de outra data limite, 7 de julho, para que a Europa apresente melhores termos para que o país permaneça no acordo. Se essa segunda data passar sem nenhuma ação, o presidente iraniano Hassan Rouhani diz que a república islâmica irá provavelmente retomar o alto enriquecimento de urânio.

Veja a seguir em que situação está o programa nuclear do Irã atualmente:

O acordo nuclear

O Irã fechou um acordo nuclear em 2015 com Estados Unidos, França, Alemanha, Reino Unido, Rússia e China. O acordo, formalmente conhecido como Plano de Ação Conjunto Abran…

Irã convoca embaixadores da Holanda, Dinamarca e Reino Unido após ataque terrorista

O Irã convocou os embaixadores do Reino Unido, Holanda e Dinamarca para discutir o ataque terrorista ocorrido durante a parada militar na cidade iraniana de Ahvaz, informou a imprensa local.


Sputnik

O Irã convocou os embaixadores do Reino Unido, Holanda e Dinamarca, e acusou esses países de abrigar grupos de oposição iranianos, informou a Agência Iraniana de Notícias da República Islâmica.

Bandeira nacional do Irã
© REUTERS / Morteza Nikoubazl

A medida ocorre depois da morte de 24 pessoas, incluindo um jornalista, em um ataque terrorista ocorrido durante uma parada militar no Irã neste sábado.

O Movimento Democrático Árabe Patriótico, ligado à Arábia Saudita, teria assumido a responsabilidade pelo ataque em Ahwaz.

"Não é aceitável que esses grupos não sejam listados como organizações terroristas pela União Européia, por não terem realizado um ataque na Europa", disse o porta-voz do ministério das Relações Exteriores do Irã, Bahram Qasemi, segundo a agência de notícias Iran Republic Islamic.

Anteriormente, o porta-voz das Forças Armadas iranianas, Abolfazl Shekarchi, disse que os militantes responsáveis pelo ataque terrorista estavam ligados aos Estados Unidos e a Israel. O chanceler iraniano, Javad Zarif, também acusou os "patrocinadores regionais do terrorismo e seus senhores norte-americanos" de organizar o ataque.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas