Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Por que alguns países ocidentais não querem libertação de Idlib?

A libertação de Idlib marcará a vitória total das forças governamentais e o fracasso dos planos de países ocidentais de derrubar as autoridades legítimas sírias.
Sputnik

No entanto, segundo Pierre Le Corf, ativista francês que vive em Aleppo, a tarefa não será fácil. 


"Será muito difícil libertar Idlib, porque todas as forças da coalizão lideradas pelos EUA e governos [ocidentais] envolvidos na guerra até o momento se opõem à libertação da província", disse Le Corf à Sputnik França.

Ele comentou que assim que a província síria de Idlib for libertada, terá que "libertar as zonas ocupadas ilegalmente pelos EUA, França e até pela Itália no norte do país". Por esse motivo, nenhum desses países quer a libertação da província.

Le Corf salientou que a intenção de manter o status atual poderia levar a "um massacre da população civil de Idlib", referindo-se às múltiplas advertências dos militares sírios e russos sobre a possível encenação de ataques químicos com o prop…

Irã convoca embaixadores da Holanda, Dinamarca e Reino Unido após ataque terrorista

O Irã convocou os embaixadores do Reino Unido, Holanda e Dinamarca para discutir o ataque terrorista ocorrido durante a parada militar na cidade iraniana de Ahvaz, informou a imprensa local.


Sputnik

O Irã convocou os embaixadores do Reino Unido, Holanda e Dinamarca, e acusou esses países de abrigar grupos de oposição iranianos, informou a Agência Iraniana de Notícias da República Islâmica.

Bandeira nacional do Irã
© REUTERS / Morteza Nikoubazl

A medida ocorre depois da morte de 24 pessoas, incluindo um jornalista, em um ataque terrorista ocorrido durante uma parada militar no Irã neste sábado.

O Movimento Democrático Árabe Patriótico, ligado à Arábia Saudita, teria assumido a responsabilidade pelo ataque em Ahwaz.

"Não é aceitável que esses grupos não sejam listados como organizações terroristas pela União Européia, por não terem realizado um ataque na Europa", disse o porta-voz do ministério das Relações Exteriores do Irã, Bahram Qasemi, segundo a agência de notícias Iran Republic Islamic.

Anteriormente, o porta-voz das Forças Armadas iranianas, Abolfazl Shekarchi, disse que os militantes responsáveis pelo ataque terrorista estavam ligados aos Estados Unidos e a Israel. O chanceler iraniano, Javad Zarif, também acusou os "patrocinadores regionais do terrorismo e seus senhores norte-americanos" de organizar o ataque.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas