Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Militares juntam-se à polícia em protesto dos "coletes amarelos". Há 31 detidos

Os militares da operação antiterrorista "Sentinela" foram mobilizados para proteger as principais instituições francesas. Ao final da manhã, os coletes amarelos eram ainda em pequeno número na capital e quase invisíveis entre a população.
Diário de Notícias

As forças armadas francesas juntaram-se à polícia, este sábado, em Paris, para enfrentar o 19º fim de semana consecutivo de protestos dos coletes amarelos contra o governo do presidente Emmanuel Macron. Ao final da manhã, com os locais habituais de manifestação interditos e o reforço militar junto às principais instituições francesas, os "coletes amarelos" passavam quase despercebidos entre turistas e parisienses.

Segundo a Reuters, o governo francês decidiu mobilizar os militares da operação antiterrorista "Sentinela", depois de ter proibido os manifestantes de se reunirem nos Campos Elísios, onde no último fim de semana dezenas de lojas foram destruídas e algumas completamente pilhadas.

Além da presença …

Irã estaria contrabandeando armas para Líbano destinadas ao Hezbollah, diz mídia

Os serviços de inteligência ocidentais acreditam que o Irã esteja vendendo armas ilegalmente para o Líbano, particularmente para os militantes do movimento libanês xiita Hezbollah, informou o canal americano Fox News, citando fontes.


Sputnik

O artigo diz que a companhia aérea iraniana Fars Air Qeshm realizou nos últimos dois meses dois voos "raros e incomuns" de Teerã para Beirute. O primeiro teve lugar em 9 de julho, quando um avião Boeing 747 decolou da base aérea em Teerã, fez uma escala rápida no aeroporto de Damasco e depois se dirigiu para o aeroporto da capital libanesa por uma "rota incomum", ou seja, voou através da parte norte do Líbano.

Avião da companhia aérea iraniana Qeshm Fars Air
Boeing 747F da Fars Air Qeshm | CC BY-SA 4.0 / Gsmar / IMAG1379

"Os iranianos estão tentando encontrar novos meios e rotas para contrabandear armas do irã para seus aliados no Oriente Médio, testando e desafiando as capacidades do Ocidente de monitorá-los", disse uma fonte ao Fox News.

Os serviços secretos ocidentais acreditam que o avião tivesse transportado componentes para a produção de armas de alta precisão nas fábricas iranianas no Líbano.

O segundo voo foi realizado de Teerã para Beirute em 2 de agosto. Segundo a mídia, o avião não fez escala em Damasco, mas "seguiu uma rota um pouco irregular a norte da Síria".

Em maio, o secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, anunciou a nova política dos EUA em relação ao Irã, exigindo que Teerã, além de cessar o programa nuclear e de mísseis, pare de apoiar os grupos armados na região, incluindo o Hezbollah no Líbano. Washington também insiste em que o Irã retire todas as suas forças do território sírio.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas