Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Militares juntam-se à polícia em protesto dos "coletes amarelos". Há 31 detidos

Os militares da operação antiterrorista "Sentinela" foram mobilizados para proteger as principais instituições francesas. Ao final da manhã, os coletes amarelos eram ainda em pequeno número na capital e quase invisíveis entre a população.
Diário de Notícias

As forças armadas francesas juntaram-se à polícia, este sábado, em Paris, para enfrentar o 19º fim de semana consecutivo de protestos dos coletes amarelos contra o governo do presidente Emmanuel Macron. Ao final da manhã, com os locais habituais de manifestação interditos e o reforço militar junto às principais instituições francesas, os "coletes amarelos" passavam quase despercebidos entre turistas e parisienses.

Segundo a Reuters, o governo francês decidiu mobilizar os militares da operação antiterrorista "Sentinela", depois de ter proibido os manifestantes de se reunirem nos Campos Elísios, onde no último fim de semana dezenas de lojas foram destruídas e algumas completamente pilhadas.

Além da presença …

Irã: presença dos EUA na Síria 'deve terminar imediatamente'

Nesta sexta-feira (7), o presidente iraniano Hassan Rouhani afirmou que é difícil esperar de Washington "um papel positivo na regulação da situação na Síria", ressaltando que a presença de tropas norte-americanas no país árabe "deve terminar imediatamente".


Sputnik

Os líderes da Rússia, Turquia e Irã se reuniram hoje (7) em Teerã para discutir a situação na Síria, particularmente na província de Idlib.

Militar norte-americano na cidade de Manbij, Síria
Tropa dos EUA na Síria © AP Photo/ Hussein Malla

A presença dos EUA na Síria é ilegal, pois não foi aprovada pelo governo de Assad e somente dificulta o processo de paz, segundo o líder iraniano, adicionando ele que a luta antiterrorista na província de Idlib é um passo crucial no processo de paz sírio.

"É evidente que os americanos estão na Síria de forma ilegal e somente se dedicam à agressão […] A intervenção dos Estados Unidos na Síria não tem base em nenhuma norma do direito internacional, sua presença agrava o problema e dificulta o estabelecimento de uma paz sustentável no país", declarou Rouhani.

Além disso, o presidente iraniano destacou que Teerã manterá sua presença na Síria para "lutar contra o terrorismo a pedido do governo legítimo do país".

"E a continuação de nossa presença na República Árabe da Síria será resolvida no futuro a partir do mesmo princípio", afirmou o presidente.

Ele ainda complementou seu discurso falando que a presença iraniana "não serve para impor nossa vontade a ninguém".

"Sempre apoiaremos a vontade do povo sírio como a de um povo amigo […] Estamos plenamente conscientes das preocupações dos países da região com o terrorismo e o separatismo. Cremos que a cooperação com o governo legítimo da Síria é a abordagem mais eficaz e sustentável, e estamos firmemente convencidos de que outras abordagens, como a intervenção direta sem coordenação com o Exército sírio, podem agravar a situação no país", concluiu Rouhani.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas