Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Militares juntam-se à polícia em protesto dos "coletes amarelos". Há 31 detidos

Os militares da operação antiterrorista "Sentinela" foram mobilizados para proteger as principais instituições francesas. Ao final da manhã, os coletes amarelos eram ainda em pequeno número na capital e quase invisíveis entre a população.
Diário de Notícias

As forças armadas francesas juntaram-se à polícia, este sábado, em Paris, para enfrentar o 19º fim de semana consecutivo de protestos dos coletes amarelos contra o governo do presidente Emmanuel Macron. Ao final da manhã, com os locais habituais de manifestação interditos e o reforço militar junto às principais instituições francesas, os "coletes amarelos" passavam quase despercebidos entre turistas e parisienses.

Segundo a Reuters, o governo francês decidiu mobilizar os militares da operação antiterrorista "Sentinela", depois de ter proibido os manifestantes de se reunirem nos Campos Elísios, onde no último fim de semana dezenas de lojas foram destruídas e algumas completamente pilhadas.

Além da presença …

Irã progride indústria militar e pensa em dividir seus melhores armamentos com Síria

Segundo jornal iraniano, Teerã pretende fornecer a Damasco caças de fabricação nacional Kowsar e sistemas antiaéreos Bavar-373, que são semelhantes aos S-300 russos, porém, de acordo com fonte militar síria, não há datas concretas para entrega.


Sputnik

Kowsar foi lançado no mês passado e é o primeiro caça fabricado pelo Irã, além disso, ele se assemelha ao caça americano de terceira geração F-5E. Vale destacar que a aeronave iraniana é equipada com modernos equipamentos, o que indica um avanço da indústria iraniana, que poucos países possuem, afirma o jornal local Al Masdar News.

Caça Kowsar, o primeiro de produção iraniana
Caça iraniano Kowsar | CC BY 4.0 / Tasnim News Agency

Caça possui uma arquitetura altamente integrada e um sistema de controle de fogo que utiliza redes de dados digitais de quarta geração, sendo capaz de carregar diversos armamentos, além de poder ser utilizado em missões curtas de apoio.

O Irã vem desenvolvendo sua indústria militar há anos, enfrentando sanções internacionais e unilaterais, impostas pela ONU, EUA e seus aliados. Com isso, o país tem obtido avanços consideráveis que já conta com um robusto programa de mísseis, um tanque de combate Karrar, uma grande variedade de drones e outros projetos.

Outro projeto iraniano é o sistema antiaéreo de longo alcance, Bavar-373, projetado para substituir os S-300 russos, que devido às sanções da ONU, teve o contrato suspenso. O projeto foi lançado em 2016 e está previsto para ser finalizado em 2019, entrando em serviço no exército iraniano.

A informação surgiu em um momento tenso na Síria devido às ameaças dos EUA e seus aliados de realizar uma ação militar contra Damasco em caso de utilização de armas químicas.

Além do mais, militares e políticos tanto russos como sírios vêm denunciando a possibilidade de realização de encenação de ataque químico por países ocidentais para justificar posteriormente ataque ao governo sírio.

A hipotética ofensiva de Damasco contra a província de Idlib, transformado em um ponto de guerra que sedia tanto extremistas radicais como opositores armados, é a região onde chocam os interesses e planos da Síria (com seus aliados Rússia e Irã), de Turquia (que patrocina vários grupos opositores presentes na província) e da coalizão liderada pelos EUA.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas