Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Irã ameaça romper limite de reservas de urânio; entenda o que país pode fazer se sair de acordo nuclear

Sem regulação, país pode adotar equipamentos mais modernos e rápidos e ampliar volume de enriquecimento de material que pode ser usado em armas nucleares. Acordo foi firmado em 2015 entre Irã e mais seis países, mas Trump retirou EUA em maio de 2018.
Associated Press

O Irã anunciou que irá exceder o limite de reservas de urânio determinado pelo acordo nuclear de 2015, ampliando as tensões no Oriente Médio.

O prazo de 27 de junho dado por Teerã vem antes de outra data limite, 7 de julho, para que a Europa apresente melhores termos para que o país permaneça no acordo. Se essa segunda data passar sem nenhuma ação, o presidente iraniano Hassan Rouhani diz que a república islâmica irá provavelmente retomar o alto enriquecimento de urânio.

Veja a seguir em que situação está o programa nuclear do Irã atualmente:

O acordo nuclear

O Irã fechou um acordo nuclear em 2015 com Estados Unidos, França, Alemanha, Reino Unido, Rússia e China. O acordo, formalmente conhecido como Plano de Ação Conjunto Abran…

Israel continuará 'renovando e fortalecendo' instalações nucleares devido a ameaças do Irã

Governo israelense mostra vontade de continuar "renovando e fortalecendo" suas instalações nucleares em resposta às ameaças provenientes do Irã, segundo assegurou o chefe da Comissão Israelense para a Energia Atômica, Zeev Snir.


Sputnik

De acordo com Snir, que discursava na conferência geral da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), a parte israelense "não pode ignorar as ameaças repetidas e inequívocas por parte do Irã e de seus fantoches sobre ataques contra instalações nucleares de Israel".

Premiê israelense, Benjamin Netanyahu, apresentando materiais sobre o suposto programa nuclear iraniano em Tel Aviv
Benjamin Netanyahu © AP Photo/ Sebastian Scheiner

"Essas ameaças escandalosas exigem que Israel tome medidas e continue a proteger e defender suas instalações nucleares. Para sermos capaz de repelir qualquer ataque, esses objetos são frequentemente sujeitos a modernização e reforço de acordo com as instruções de segurança da AIEA", declarou.

No mês passado, cientistas nucleares israelenses discutiram estudos revelando o que aconteceria se um míssil atingisse um dos reatores. De acordo com uma pesquisa publicada no Journal of Nuclear Engineering and Radiation Science no ano passado, um míssil Scud caindo a 35 metros do reator poderia causar danos à sua cúpula de proteção e interromper os sistemas de controle responsáveis por operá-lo e resfriá-lo.

As relações entre Israel e o Irã estão tensas devido às acusações de Tel Aviv de que Teerã não teria reduzido seu programa nuclear. Além disso, o Estado israelense também critica a suposta retórica hostil do Irã em apoio ao governo sírio e ao movimento Hezbollah libanês, que já entrou em confronto com Israel.

Vale destacar que as autoridades iranianas, por suas ambições nucleares, expansão regional e retórica anti-israelense, foram rotuladas pelos israelenses como ameaça número um para a segurança nacional.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas