Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Capacetes brancos preparam novas provocações na Síria, diz enviado russo na ONU

Membros dos Capacetes Brancos estão preparando novas provocações com substâncias tóxicas na Síria, disse o vice-embaixador russo na ONU, Vladimir Safronkov, nesta quarta-feira (24) na reunião do Conselho de Segurança da ONU.
Sputnik

Safronkov observou que os Capacetes Brancos acusariam o governo sírio pelo uso de tais substâncias.

Mais cedo nesta quarta-feira (24), o Major General Viktor Kupchishin, chefe do Centro Russo para a Reconciliação Síria, argumentou que funcionários da mídia estrangeira na província síria de Hama conduziram uma filmagem falsa da "morte" de uma família supostamente devido ao uso de armas químicas pelas tropas sírias.

Em diversas ocasiões, Moscou e Damasco apontaram que os Capacetes Brancos estavam produzindo provocações envolvendo o uso de armas químicas com o objetivo de culpar o governo da Síria e dar aos países ocidentais justificativas para a intervenção no país.
A estratégia de encenar ataques para usá-los como falsa bandeira tem sido usada repetida…

'Israel não se preocupa com nada senão seus interesses', diz analista

Enquanto o Ministério da Defesa da Rússia apresenta informações detalhadas sobre o que se passou com o avião Il-20 russo na Síria em 17 de setembro, Tel Aviv continua negando sua culpa pelo incidente.


Sputnik

Na opinião do especialista militar egípcio, Adil Suleiman, que a compartilhou com a Sputnik, a verdadeira razão para o abate é o fato de Israel "se nortear apenas por interesses da sua predominância militar na região".

Soldados das Forças de Defesa de Israel (IDF) em Hebron
CC BY 2.0 / Israel Defense Forces / Brother's Keeper Operation in Judea & Samaria

De acordo com o general aposentado, a tragédia também foi provocada pela falta de coordenação entre as duas partes aos níveis operacional e tático. "Isto não foi levado completamente a sério, especialmente por parte do lado israelense", sublinha.

"Israel não se preocupa com nada senão com seus interesses, especialmente no que se trata de operações militares. Ele não está disposto a sofrer perdas militares ou parecer fraco… Israel não está interessado em quem está no lado oposto, seja o lado sírio que se está equipando com modernos armamentos russos ou algum outro", acredita Suleiman.

Assim, diz ele, o país acredita que "pode resolver qualquer problema" apenas com desculpas ou enviando seus dirigentes militares ao outro país com o objetivo de esclarecer sua postura.

"Ele [Israel] está acostumado a isso e se considera capaz de regularizar tais casos", frisa.

Durante a série de encontros com seus colegas russos em Moscou, a delegação militar encabeçada pelo comandante da Força Aérea de Israel, Amikam Norkin, tentou provar seu não envolvimento no acidente trágico que matou 15 militares russos e que, segundo o ministério russo, foi resultado da "falta de profissionalismo" ou "negligência criminosa" por parte dos pilotos israelenses.

Além disso, observa Suleiman, o abate do Il-20 também "indica o fato da coordenação não ter estado a um adequado nível de profissionalismo", enquanto o próprio incidente poderia ter prevenido se "tivesse havido um nível alto de coordenação e comunicação".

"Isto não livra o lado israelense da responsabilidade… Entretanto, é necessário coordenação, especialmente levando em consideração que o problema sírio é muito complexo e na arena há muitos atores internacionais, tais como a Rússia, a Turquia, Israel, o Irã e outros", resume o general.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas