Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Por que alguns países ocidentais não querem libertação de Idlib?

A libertação de Idlib marcará a vitória total das forças governamentais e o fracasso dos planos de países ocidentais de derrubar as autoridades legítimas sírias.
Sputnik

No entanto, segundo Pierre Le Corf, ativista francês que vive em Aleppo, a tarefa não será fácil. 


"Será muito difícil libertar Idlib, porque todas as forças da coalizão lideradas pelos EUA e governos [ocidentais] envolvidos na guerra até o momento se opõem à libertação da província", disse Le Corf à Sputnik França.

Ele comentou que assim que a província síria de Idlib for libertada, terá que "libertar as zonas ocupadas ilegalmente pelos EUA, França e até pela Itália no norte do país". Por esse motivo, nenhum desses países quer a libertação da província.

Le Corf salientou que a intenção de manter o status atual poderia levar a "um massacre da população civil de Idlib", referindo-se às múltiplas advertências dos militares sírios e russos sobre a possível encenação de ataques químicos com o prop…

Manobras militares na Rússia são potente sinal a todo mundo, diz imprensa alemã

A Rússia demonstra seu poderio militar ao realizar toda uma série de manobras, entre as quais os exercícios militares Vostok 2018 em conjunto com a China, escreveu a edição Handelsblatt.


Sputnik

De acordo com a edição, a julgar por sua escala, estas manobras são comparáveis às maiores operações da Segunda Guerra Mundial.

Trens com militares e equipamento bélico da China chegam para participar das manobras Vostok 2018
Trem com militares e equipamentos chineses chegando para os exercícios Vostok 2018 © Sputnik / Yevgeny Epanchintsev

Além disso, segundo a mídia, que cita opiniões de vários especialistas, com estas manobras a Rússia envia ao mundo um potente sinal, tornando realidade os medos de Washington quanto a uma estreita colaboração militar entre Moscou e Pequim.

Segundo frisou o Handelsblatt, ao mesmo tempo, nesta região está agendada a realização do quarto Fórum Econômico do Oriente, o que também prova as ótimas relações entre Moscou e Pequim no campo econômico.

A revista supõe que a Rússia prova assim mais uma vez ao mundo que não está isolada e possui como aliado um dos países mais fortes do mundo.

As manobras Vostok 2018 (Leste 2018) serão realizadas entre agosto e setembro na região da Sibéria e Extremo Oriente. Serão os maiores exercícios militares realizados pelas Forças Armadas da Rússia desde 1981.

Os exercícios contarão, em uma de suas etapas, com a participação das Forças Armadas da China e da Mongólia.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas