Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Executiva da Huawei deixa a prisão após pagar fiança no Canadá; ex-diplomata canadense é preso na China

Justiça aceitou pedido da chinesa, que foi detida a pedido dos Estados Unidos e corria risco de extradição. Fiança estipulada fixada em US$ 7,5 milhões.
Por G1

A diretora financeira da Huawei, Meng Wanzhou, foi solta nesta quarta-feira (12) depois de passar 11 dias presa no Canadá.

A executiva teve aceito o pedido de liberdade condicional, por um juiz canadense. O valor da fiança foi fixado em 10 milhões de dólares canadenses (US$ 7,5 milhões).

Meng saiu da prisão poucas horas depois da ordem do juiz, informou o canal Global News.

"O risco de que não se apresente perante o tribunal (para uma audiência de extradição) pode ser reduzido a um nível aceitável, impondo as condições de fiança propostas por seu assessor", disse o juiz, aplaudido na sala do tribunal pelos partidários da empresa chinesa, informa a France Presse.

As condições de libertação incluem a entrega de seus dois passaportes, que permaneça em uma de suas residências de Vancouver e use tornozeleira eletrônica. Além dis…

Marinha da Ucrânia acusa Rússia de criar 'incidentes perigosos'

A Marinha da Ucrânia declarou que a Rússia alegadamente criou "incidentes perigosos" quando dois navios ucranianos estavam atravessando o estreito de Kerch.


Sputnik

Segundo destaca o comunicado na página oficial da entidade militar no Facebook, durante a recente passagem de navios ucranianos por águas do estreito, estes foram escoltados pelos navios de guerra russos Priazovie, Ametist e Don. Ademais, no próprio estreito de Kerch a escolta foi aumentada com mais de uma dezena de lanchas e navios do FSB (Serviço Federal de Segurança) e da Frota do Mar Negro.

A imagem pode conter: oceano, céu, atividades ao ar livre e água
Reprodução Facebook

De acordo com a Marinha ucraniana, as Forças Armadas da Rússia criaram uma série de "incidentes perigosos". Em particular, o navio de reconhecimento russo Priazovie alegadamente aproximou-se demasiado de um navio ucraniano, ficando a apenas 440 metros de distância, o que violou as regras internacionais e criou uma situação perigosa.

Ao mesmo tempo, o comunicado indica que um caça russo Su-27 criou "condições para uma situação de acidente no ar", aproximando-se de um An-26 da Força Aérea da Ucrânia a uma distância arriscada.

Na véspera, os navios ucranianos Donbass e Korets passaram ao longo da costa da Crimeia, entrando na zona econômica exclusiva da Rússia. Segundo informa a mídia, ambos os navios saíram do porto em Odessa e dirigem-se para o mar de Azov. No domingo (23), os navios navegaram através do estreito de Kerch.

No entanto, de acordo com o Serviço de Fronteiras russo da região, os navios ucranianos foram escoltados "em concordância com as normas do direito marítimo internacional e com os interesses de segurança da Federação da Rússia".

Postar um comentário

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas