Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Irã ameaça romper limite de reservas de urânio; entenda o que país pode fazer se sair de acordo nuclear

Sem regulação, país pode adotar equipamentos mais modernos e rápidos e ampliar volume de enriquecimento de material que pode ser usado em armas nucleares. Acordo foi firmado em 2015 entre Irã e mais seis países, mas Trump retirou EUA em maio de 2018.
Associated Press

O Irã anunciou que irá exceder o limite de reservas de urânio determinado pelo acordo nuclear de 2015, ampliando as tensões no Oriente Médio.

O prazo de 27 de junho dado por Teerã vem antes de outra data limite, 7 de julho, para que a Europa apresente melhores termos para que o país permaneça no acordo. Se essa segunda data passar sem nenhuma ação, o presidente iraniano Hassan Rouhani diz que a república islâmica irá provavelmente retomar o alto enriquecimento de urânio.

Veja a seguir em que situação está o programa nuclear do Irã atualmente:

O acordo nuclear

O Irã fechou um acordo nuclear em 2015 com Estados Unidos, França, Alemanha, Reino Unido, Rússia e China. O acordo, formalmente conhecido como Plano de Ação Conjunto Abran…

Militares estadunidenses afirmam que submarinos russos são um 'adversário duro'

A imprensa estadunidense chamou o submersível russo Kazan do projeto Yasen-M de "maior submarino inimigo", sublinhando que mesmo seu antecessor, o Severodvinsk, já era bastante imponente.


Sputnik

"Enfrentaremos um potencial adversário duro. Basta dar uma olhada no Severodvinsk", escreveu a edição The National Interest, citando o contra-almirante americano Dave Johnson.

Submarino Severodvinsk do projeto Yasen-M russo no mar de Barents (foto de arquivo)
Submarino russo Severodvinsk, do Projeto Yasen-M © Sputnik / Ministério da Defesa da Rússia

Vale assinalar que o almirante da Marinha James Foggo também elogiou o submarino Severodvinsk.

"É um submarino muito impressionante. Se analisarmos o desenvolvimento da Marinha russa, como é que tem gasto os recursos, fica claro que os principais esforços nas pesquisas e construção foram em primeiro lugar destinados ao reforço da frota submarina", disse, citado pela revista.

Ao mesmo tempo, ele assegura que os EUA continuam mantendo a superioridade nessa área.

"Eu acredito que nós, o Ocidente, ainda temos uma superioridade assimétrica", destacou Foggo.

Conforme foi informado anteriormente, os militares russos deverão receber o novo submarino Kazan em 2019.

Os submarinos atômicos multifuncionais Kazan, Novosibirsk, Krasnoyarsk e Arkhangelsk estão sendo construídos de acordo com o projeto aperfeiçoado Yasen-M (885M). Os navios têm um deslocamento de 13.800 toneladas, profundidade de imersão de 520 metros, uma tripulação de 64 homens, autonomia de 100 dias e a velocidade de 31 nós, além de serem equipados com minas, torpedos de 533 mm e mísseis de cruzeiro Kalibr e Oniks.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas