Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Por que alguns países ocidentais não querem libertação de Idlib?

A libertação de Idlib marcará a vitória total das forças governamentais e o fracasso dos planos de países ocidentais de derrubar as autoridades legítimas sírias.
Sputnik

No entanto, segundo Pierre Le Corf, ativista francês que vive em Aleppo, a tarefa não será fácil. 


"Será muito difícil libertar Idlib, porque todas as forças da coalizão lideradas pelos EUA e governos [ocidentais] envolvidos na guerra até o momento se opõem à libertação da província", disse Le Corf à Sputnik França.

Ele comentou que assim que a província síria de Idlib for libertada, terá que "libertar as zonas ocupadas ilegalmente pelos EUA, França e até pela Itália no norte do país". Por esse motivo, nenhum desses países quer a libertação da província.

Le Corf salientou que a intenção de manter o status atual poderia levar a "um massacre da população civil de Idlib", referindo-se às múltiplas advertências dos militares sírios e russos sobre a possível encenação de ataques químicos com o prop…

Militares estadunidenses afirmam que submarinos russos são um 'adversário duro'

A imprensa estadunidense chamou o submersível russo Kazan do projeto Yasen-M de "maior submarino inimigo", sublinhando que mesmo seu antecessor, o Severodvinsk, já era bastante imponente.


Sputnik

"Enfrentaremos um potencial adversário duro. Basta dar uma olhada no Severodvinsk", escreveu a edição The National Interest, citando o contra-almirante americano Dave Johnson.

Submarino Severodvinsk do projeto Yasen-M russo no mar de Barents (foto de arquivo)
Submarino russo Severodvinsk, do Projeto Yasen-M © Sputnik / Ministério da Defesa da Rússia

Vale assinalar que o almirante da Marinha James Foggo também elogiou o submarino Severodvinsk.

"É um submarino muito impressionante. Se analisarmos o desenvolvimento da Marinha russa, como é que tem gasto os recursos, fica claro que os principais esforços nas pesquisas e construção foram em primeiro lugar destinados ao reforço da frota submarina", disse, citado pela revista.

Ao mesmo tempo, ele assegura que os EUA continuam mantendo a superioridade nessa área.

"Eu acredito que nós, o Ocidente, ainda temos uma superioridade assimétrica", destacou Foggo.

Conforme foi informado anteriormente, os militares russos deverão receber o novo submarino Kazan em 2019.

Os submarinos atômicos multifuncionais Kazan, Novosibirsk, Krasnoyarsk e Arkhangelsk estão sendo construídos de acordo com o projeto aperfeiçoado Yasen-M (885M). Os navios têm um deslocamento de 13.800 toneladas, profundidade de imersão de 520 metros, uma tripulação de 64 homens, autonomia de 100 dias e a velocidade de 31 nós, além de serem equipados com minas, torpedos de 533 mm e mísseis de cruzeiro Kalibr e Oniks.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas