Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Por que alguns países ocidentais não querem libertação de Idlib?

A libertação de Idlib marcará a vitória total das forças governamentais e o fracasso dos planos de países ocidentais de derrubar as autoridades legítimas sírias.
Sputnik

No entanto, segundo Pierre Le Corf, ativista francês que vive em Aleppo, a tarefa não será fácil. 


"Será muito difícil libertar Idlib, porque todas as forças da coalizão lideradas pelos EUA e governos [ocidentais] envolvidos na guerra até o momento se opõem à libertação da província", disse Le Corf à Sputnik França.

Ele comentou que assim que a província síria de Idlib for libertada, terá que "libertar as zonas ocupadas ilegalmente pelos EUA, França e até pela Itália no norte do país". Por esse motivo, nenhum desses países quer a libertação da província.

Le Corf salientou que a intenção de manter o status atual poderia levar a "um massacre da população civil de Idlib", referindo-se às múltiplas advertências dos militares sírios e russos sobre a possível encenação de ataques químicos com o prop…

Ministro israelense: acidente com Il-20 foi casualidade trágica, mas a culpa é da Síria

O ministro da Defesa de Israel, Avigdor Lieberman, diz que compreende as acusações de Moscou sobre envolvimento do país no incidente com avião russo Il-20. No entanto, o político insistiu que a responsabilidade é dos militares sírios.


Sputnik

"Nós também expressamos as nossas condolências em relação à morte de 15 militares do Exército russo a bordo desse avião, derrubado pelos sírios. Falei com o ministro russo da Defesa [Sergei Shoigu]. Naturalmente, podemos compreender sua atitude nesse momento", destacou.

Avião russo Il-20 ( foto de arquivo)
Ilyushin Il-20 © REUTERS / Sergei Pivovarov

Ao mesmo tempo, o ministro concordou que foi uma casualidade trágica, mas o exército do presidente sírio, Bashar Assad "é responsável por isso".

No entanto, em entrevista à estação de rádio Galei Tzahal, Lieberman sublinhou que Israel não tem nenhuma outra opção, senão continuar realizando operações na Síria para lutar contra a presença militar do Irã na região e prevenir o fornecimento de armas modernas ao Hezbollah no Líbano.

"Faremos tudo que é necessário para garantir a segurança dos cidadãos israelenses", assegurou.

Apesar disso, o ministro não comentou possíveis medidas que a Rússia poderia tomar em resposta ao incidente com avião.

O avião russo Il-20, a bordo do qual estavam 15 militares, foi derrubado por um míssil do complexo S-200 do Exército sírio na noite da segunda-feira (17), matando todos os tripulantes. Segundo afirmou o ministro da Defesa russo, Sergei Shoigu, a aeronave foi derrubada por mísseis sírios em resposta às ações da aviação israelense, que estava "se cobrindo" pelos aviões russos.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas