Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Marinha do Brasil prevê inaugurar estação na Antártica em 2020, oito anos após incêndio

Obra é executada por uma empresa chinesa e, segundo a Marinha, se aproxima do final. Incêndio em 2012 destruiu estação, e dois militares morreram.
Por Guilherme Mazui | G1 — Brasília

Passados sete anos desde o incêndio que destruiu a Estação Antártica Comandante Ferraz, a Marinha prevê inaugurar a nova estação em março de 2020.

Executada pela empresa chinesa Ceiec, a obra se aproxima do final, segundo a Marinha, que prevê concluir as obras civis e a instalação de máquinas e mobiliário até 31 de março, iniciando um período de testes do complexo científico até março de 2020. Após os testes, a estação poderá receber militares e pesquisadores.

"A previsão de inauguração é março de 2020, quando os pesquisadores e o Grupo-Base [de militares] deverão ocupar em definitivo as instalações da nova Estação Antártica Comandante Ferraz", informou a Marinha ao G1.

Com investimento de US$ 99,6 milhões, o complexo receberá profissionais que atuam no Programa Antártico Brasileiro (Proantar), criad…

Ministro israelense: acidente com Il-20 foi casualidade trágica, mas a culpa é da Síria

O ministro da Defesa de Israel, Avigdor Lieberman, diz que compreende as acusações de Moscou sobre envolvimento do país no incidente com avião russo Il-20. No entanto, o político insistiu que a responsabilidade é dos militares sírios.


Sputnik

"Nós também expressamos as nossas condolências em relação à morte de 15 militares do Exército russo a bordo desse avião, derrubado pelos sírios. Falei com o ministro russo da Defesa [Sergei Shoigu]. Naturalmente, podemos compreender sua atitude nesse momento", destacou.

Avião russo Il-20 ( foto de arquivo)
Ilyushin Il-20 © REUTERS / Sergei Pivovarov

Ao mesmo tempo, o ministro concordou que foi uma casualidade trágica, mas o exército do presidente sírio, Bashar Assad "é responsável por isso".

No entanto, em entrevista à estação de rádio Galei Tzahal, Lieberman sublinhou que Israel não tem nenhuma outra opção, senão continuar realizando operações na Síria para lutar contra a presença militar do Irã na região e prevenir o fornecimento de armas modernas ao Hezbollah no Líbano.

"Faremos tudo que é necessário para garantir a segurança dos cidadãos israelenses", assegurou.

Apesar disso, o ministro não comentou possíveis medidas que a Rússia poderia tomar em resposta ao incidente com avião.

O avião russo Il-20, a bordo do qual estavam 15 militares, foi derrubado por um míssil do complexo S-200 do Exército sírio na noite da segunda-feira (17), matando todos os tripulantes. Segundo afirmou o ministro da Defesa russo, Sergei Shoigu, a aeronave foi derrubada por mísseis sírios em resposta às ações da aviação israelense, que estava "se cobrindo" pelos aviões russos.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas