Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Irã ameaça romper limite de reservas de urânio; entenda o que país pode fazer se sair de acordo nuclear

Sem regulação, país pode adotar equipamentos mais modernos e rápidos e ampliar volume de enriquecimento de material que pode ser usado em armas nucleares. Acordo foi firmado em 2015 entre Irã e mais seis países, mas Trump retirou EUA em maio de 2018.
Associated Press

O Irã anunciou que irá exceder o limite de reservas de urânio determinado pelo acordo nuclear de 2015, ampliando as tensões no Oriente Médio.

O prazo de 27 de junho dado por Teerã vem antes de outra data limite, 7 de julho, para que a Europa apresente melhores termos para que o país permaneça no acordo. Se essa segunda data passar sem nenhuma ação, o presidente iraniano Hassan Rouhani diz que a república islâmica irá provavelmente retomar o alto enriquecimento de urânio.

Veja a seguir em que situação está o programa nuclear do Irã atualmente:

O acordo nuclear

O Irã fechou um acordo nuclear em 2015 com Estados Unidos, França, Alemanha, Reino Unido, Rússia e China. O acordo, formalmente conhecido como Plano de Ação Conjunto Abran…

Navios de guerra do Japão e Reino Unido fazem exercícios na mar do Sul da China

O maior navio de Guerra do Japão, o porta-helicópteros Kaga, juntou-se à fragata britânica HMS Argyll, no oceano Índico. O movimento, anunciado nesta quarta-feira (26), ocorreu enquanto a embarcação britânica se dirigia ao mar do Sul da China e Leste asiático.


Sputnik

Os britânicos e os japoneses são aliados próximos dos Estados Unidos e têm um objetivo comum de conter a crescente influência da China sobre a região. Eles temem que as águas do mar do Sul da China, uma importante rota de comércio que liga a Ásia com a Europa e os Estados Unidos, fique sob influência direta dos chineses.

Marinheiro britânico perto do navio de guerra HMS Albion
Tropas britânicas embarcando no HMS Albion © AP Photo / Alvaro Barrientos

"Nós temos laços tradicionais com a Marinha britânica e somos ambos aliados dos EUA e esses exercícios são uma oportunidade para fortalecer nossa cooperação", afirmou Kenji Sakaguchi, o comandante da Força Marítima de auto Defesa.

Ele acrescentou que quanto mais frequente é a presença da Marinha Real britânica na região, melhores são as chances de que as duas marinhas possam treinar juntas e de se aproximarem no futuro.

A chegada do Argyll à região se soma à chegada, no mês passado, de um navio anfíbio de assalto da Marinha britânica, o Albion. A presença do navio foi considerada uma forma de desafiar a China e suas reivindicações territoriais. Ele estabeleceu um trajeto a caminho do Vietnã partindo do Japão e passando próximo às bases chinesas nas ilhas Paracel durante uma operação de liberdade de navegação.

A China enviou um navio de Guerra e helicópteros para conter a presença britânica, alertando Londres de que ações similares no futuro poderiam criar perigos sobre a possibilidade de acordos comerciais com a China após a saída do Reino Unido da União Europeia.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas