Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Militares juntam-se à polícia em protesto dos "coletes amarelos". Há 31 detidos

Os militares da operação antiterrorista "Sentinela" foram mobilizados para proteger as principais instituições francesas. Ao final da manhã, os coletes amarelos eram ainda em pequeno número na capital e quase invisíveis entre a população.
Diário de Notícias

As forças armadas francesas juntaram-se à polícia, este sábado, em Paris, para enfrentar o 19º fim de semana consecutivo de protestos dos coletes amarelos contra o governo do presidente Emmanuel Macron. Ao final da manhã, com os locais habituais de manifestação interditos e o reforço militar junto às principais instituições francesas, os "coletes amarelos" passavam quase despercebidos entre turistas e parisienses.

Segundo a Reuters, o governo francês decidiu mobilizar os militares da operação antiterrorista "Sentinela", depois de ter proibido os manifestantes de se reunirem nos Campos Elísios, onde no último fim de semana dezenas de lojas foram destruídas e algumas completamente pilhadas.

Além da presença …

Noruegueses estão à espera de destruição com início de grandiosos exercícios da OTAN

Durante exercícios anteriores da mesma grandiosidade, fazendeiros noruegueses sofreram consequências dos tanques da OTAN estimadas em dezenas de milhares de coroas norueguesas.


Sputnik

As Forças Armadas norueguesas advertiram sobre danos colaterais durante futuros exercícios da OTAN Trident Juncture, que entrarão para a história norueguesa como sendo uns dos maiores, comunicou emissora nacional NRK. Desde gado a veículos — tudo pode ser afetado.

Soldada norueguesa em cima do veículo de combate CV90
Militar norueguesa sobre um blindado CV90 © AFP 2018 / Kyrre Lien

De acordo com o jornal militar Forsvarets forum, prejuízos são esperados nas seguintes esferas: terras agrícolas, florestas, estradas, instalações de energia e telecomunicações, automóveis e animais (incluindo galinhas que podem morrer devido ao alto nível de vibração ou animais maiores que podem ficar estressados por causa dos ruídos).

"É difícil imaginar que isso não acontecerá. Em particular, nós estamos preocupados porque nesse tempo do ano a terra ainda não está congelada. Além disso, muitos países vão participar então pode faltar comunicação", declara um agricultor da província norueguesa Hedmark.

Na última vez que Noruega sediou exercícios da OTAN, fazendeiros noruegueses se queixaram de danos e de destruições provocados por tanques da Aliança Atlântica.

Em 2014, o agricultor Lars Bryhni sofreu grande prejuízo com o pisoteio dos tanques apesar de um acordo ter sido assinado para que suas terras não fossem usadas nas manobras. Como recompensa, ele recebeu 75.000 coroas norueguesas (R$ 36.200), conseguindo pagar somente metade dos danos sofridos.

"Foi muito importante para que recebêssemos experiência de como lidar com resolução de litígios", disse a responsável ambiental das Forças Armadas norueguesas Marianne Bo. Segundo ela, as Forças Armadas têm trabalhado para minimizar danos colaterais desde 2016 e têm informado todos os participantes onde eles podem ou não se mover.

"Trata-se do sustento destas pessoas. Nós temos imposto restrições para evitar uso de terras agrícolas o máximo possível. Mas os Trident Juncture serão grandes exercícios e nós não podemos evitar isso completamente", acrescentou Marianne Bo.

Vale destacar que as Forças Armadas norueguesas criaram uma linha direta para que pessoas apresentem queixas e pedidos de reembolso.

Os exercícios Trident Juncture da OTAN ocorrerão de 25 de outubro a 7 de novembro nas regiões de Trondelag, more og Romsdal, Oppland e Hedmark, afetando também regiões de Ostfold, Akershus e Nordland. Eles entrarão na lista dos maiores exercícios na Noruega das últimas décadas com participação de 40.000 soldados de 30 países, bem como de 70 navios e 130 aeronaves.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas