Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Pentágono se diz pronto para admitir ter muitos 'criminosos' nas suas tropas

Depois que uma série de terríveis desastres de relações públicas que expôs soldados de elite dos EUA sendo presos por posse de drogas, abuso, estupro e assassinato, o Pentágono está reprimindo questões disciplinares em seu Comando de Operações Especiais, segundo um novo relatório.
Sputnik

Com "alegações de falta grave" acumulando-se altas demais para serem ignoradas após duas décadas de guerra, o general Raymond "Tony" Thomas, chefe do Comando de Operações Especiais, e Owen West, chefe de Operações Especiais e Conflito de Baixa Intensidade do Pentágono, esboçaram um ambicioso plano de 90 dias para descobrir como o corpo de elite militar se perdeu.


O primeiro de seu tipo, a avaliação profissional pretende "rever e reforçar os padrões éticos e de conduta", segundo documentos adquiridos pelo jornal The Washington Times.

"O primeiro passo em qualquer programa de tratamento é admitir que você tem um problema", disse uma autoridade do Comando de Operações…

O Irã processa canal de TV sediado em Londres na Ofcom por apoiar terroristas envolvidos no ataque de Ahvaz

A embaixada iraniana em Londres entrou com uma Ação judicial contra o canal de TV Iran-International, sediado em Londres, no regulador de comunicações do Reino Unido, Ofcom, pelo apoio do canal a um grupo terrorista envolvido no ataque de sábado a um desfile militar em Ahvaz, no Irã.


Pars Today

"A embaixada iraniana em Londres levou sua ação oficial a 'Ofcom' [pedindo] para investigar o movimento ilegal do canal de TV Iran-Internacional para transmitir uma entrevista com o porta-voz do grupo terrorista [al-Ahwaziya]", disse na segunda-feira, o embaixador iraniano em Londres, Hamid Baeidinejad em um tweet.

O Irã processa canal de TV sediado em Londres na Ofcom por apoiar terroristas envolvidos no ataque de Ahvaz
Embaixador iraniano em Londres, Hamid Baeidinejad | Reprodução

"A embaixada pediu separadamente ao governo do Reino Unido para identificar membros do grupo terrorista, proibir sua atividade e expulsá-los do país", disse ele.

O "al-Ahwaziya", que recebe apoio principalmente da Arábia Saudita, é o grupo terrorista que assumiu a responsabilidade pelo ataque de sábado a desfile militar em Ahvaz, a sudoeste do Irã, matando em pelo menos 25 e ferindo mais de 60 pessoas inocentes.

Logo após o ataque, o canal de TV Iran-International, com sede em Londres, permitiu que o porta-voz do grupo terrorista fosse ao ar para justificar seu crime hediondo. O movimento foi fortemente criticado por Baeidinejad no sábado.

“O Iran-International transmitiu vergonhosamente uma entrevista com o porta-voz do grupo terrorista por trás do ataque terrorista de hoje em Ahwaz. Condenamos esse ato hediondo e buscaremos formalmente a Ofcom para investigá-lo como um ato de apoio ao terrorismo e à violência”, disse ele em um tweet.

O Ministério das Relações Exteriores iraniano também transmitiu o forte protesto do país ao encarregado de negócios interino britânico em Teerã, que foi convocado na ausência do embaixador britânico.

Foi enfatizado ao enviado do Reino Unido que, aos olhos da República Islâmica do Irã, não é aceitável, seja qual for, que o porta-voz do grupo terrorista al-Ahwaziya seja autorizado a reivindicar responsabilidade por esse ato terrorista através de um grupo terrorista sediado em Londres Rede de TV”, disse o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores, Bahram Qassemi, no sábado.

Além de al-Ahwaziya, o grupo terrorista Daesh também afirmou que estava por trás do ataque e publicou imagens supostamente online dos agressores.

Três dos quatro assaltantes envolvidos no ataque foram mortos pelas forças de segurança iranianas, e um quarto foi preso, mas depois morreu devido a ferimentos que sofreu durante uma perseguição de segurança.

"Um esconderijo de terroristas encontrado, 22 presos"

Em um comunicado divulgado na segunda-feira, o Ministério de Inteligência do Irã anunciou que suas forças encontraram o esconderijo dos terroristas envolvidos no ataque de sábado e prendeu 22 elementos relacionados ao incidente.

Segundo o comunicado, os detidos forneceram apoio aos terroristas apoiados pelo exterior. Alguns explosivos, armas de fogo, veículos militares e instalações de comunicações também foram apreendidos do esconderijo, acrescentou o comunicado.

Postar um comentário

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas