Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

'Queremos que a Venezuela volte à democracia', diz Bolsonaro a TV dos EUA

Em entrevista à Fox News, o presidente também defendeu o muro para separar EUA do México. Nesta terça, ele vai se encontrar com Donald Trump.
Por G1

O presidente Jair Bolsonaro disse em entrevista à TV norte-americana na madrugada desta terça-feira (19) que a Venezuela estará no centro das discussões durante o encontro com o presidente dos EUA, Donald Trump, na Casa Branca, nesta tarde.

Ao canal Fox News, Bolsonaro reafirmou que o presidente norte-americano mantém "todas as opções na mesa"em relação à Venezuela. "Nós não podemos falar em todas as possibilidades, mas o que for possível de forma diplomática", disse Bolsonaro, segundo tradutor da emissora.

A entrevista foi ao ar com tradução simultânea, e em alguns trechos não foi possível ouvir o que o presidente respondeu. Bolsonaro disse que o Brasil é o país mais interessado em pôr fim ao governo de Nicolás Maduro.

O presidente afirmou que o governo brasileiro está alinhado ao de Trump. "Hoje temos nova ideologia,…

Ofensivas insurgentes matam 31 soldados e 81 talibãs no Afeganistão

Pelo menos 48 membros das forças de segurança afegãs e 120 talibãs morreram em três ofensivas dos insurgentes no norte e na região central do país, assim como dezenas de pessoas ficaram feridas, informaram à Agência Efe fontes oficiais.


EFE

Cabul - Na província de Kunduz, os talibãs lançaram um ataque noturno contra um posto de controle das tropas afegãs no distrito de Dasht-e-Archi, que deixou 13 mortos e 15 feridos no lado governamental, disse o chefe do Conselho Provincial, Yusuf Ayubi.

Membros das forças de segurança afegãs em foto de 9 de setembro. EFE/EPA/JAWAD JALALI
Membros das forças de segurança afegãs em foto de 9 de setembro. EFE/EPA/JAWAD JALALI

O porta-voz da polícia de Kunduz, Inamuddin Rahmani, confirmou a ação, mas reduziu o número de policiais mortos para dois e o de feridos para quatro, em um ataque que também deixou 11 talibãs mortos.

Dezenas de talibãs também atacaram ontem à noite o centro do distrito de Khamaab, na província Jawzjan, e ocuparam os edifícios governamentais e postos de controle da demarcação administrativa, indicou o chefe de Segurança Hafiz Khashi.

"Oito membros de nossas forças de segurança morreram e três ficaram feridos, enquanto dez talibãs foram mortos e 13 ficaram feridos", acrescentou Khashi, antes de explicar que a região permanece sob controle insurgente.

Uma ofensiva similar no distrito de Daimirdad, na província de Maidan Wardak, causou a morte de dez membros das tropas afegãs, entre eles o chefe da polícia local, enquanto 60 talibãs morreram e cem ficaram feridos, segundo o porta-voz do governador de Maidan Wardak, Rahim Mangal.

"Algumas partes do distrito foram parar nas mãos dos talibãs, mas as forças de segurança conseguiram defender com sucesso o centro da demarcação administrativa e lançaram um contra-ataque para recuperar o território perdido", detalhou a fonte.

Na província nortista de Sar-e-Pol, os talibãs lançaram ontem à noite ataques desde distintos pontos contra a capital homônima e o distrito de Sayad, o que derivou em enfrentamentos nos quais morreram 17 membros das forças de segurança e 39 insurgentes.

O governador de Sar-e-Pol, Zahir Wahdat, confirmou as mortes em mensagem de vídeo divulgada em sua página oficial do Facebook e assegurou que já chegaram reforços à capital.

Os talibãs continuam suas ofensivas contra as forças de segurança afegãs três semanas após a proposta de cessar-fogo de três meses do presidente do país, Ashraf Ghani, desde que os insurgentes também a adotem.

Os talibãs não responderam à oferta e as operações militares continuaram em curso normal.

De acordo com informações divulgadas no final do ano passado pelo Congresso dos Estados Unidos, o Executivo afegão controla cerca de 56% do Afeganistão, os talibãs dominam 11% e o resto é território em disputa.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas